Sete perguntas a Catarina Vieira

/ 227 leituras
CATARINA Vieira nasceu em Alpendorada, Marco de Canaveses e vive por estes dias na Senhora da Hora, em Matosinhos. Enquanto ilustradora diz que o mundo que cria se alimenta com todas as memó...

Sete perguntas a Ana Oliveira

/ 282 leituras
ANA Oliveira nasceu em São Martinho de Bougado, Trofa, e vive atualmente no centro do Porto. Deixou o gabinete de arquitectura onde trabalhava para se dedicar à ilustração e ao ensino do Bal...

Sete perguntas a Ana Borges

/ 140 leituras
ANA Borges é fotógrafa, natural do Porto, onde continua a viver e a trabalhar. É considerada um dos Novos Talentos FNAC Fotografia 2016. No que diz respeito às influências da cidade na ativi...

Sete perguntas a Pedro Seabra

/ 168 leituras
PEDRO Seabra é estudante de psicologia e vive em Vilela, Paredes. Tem um livro publicado e uma mão cheia de poemas em algumas revistas. Confessa que estando desde muito cedo exposto à música...

Sete perguntas a Augusto Baptista

/ 1777 leituras
NASCEU em Oliveira de Azeméis e há muito vive no Porto, freguesia de Ramalde. Trabalha com e sobre as palavras. Quando as palavras não lhe bastam, ilustra: imagens furtadas à realidade (ou à...

Sete perguntas a Sérgio Ninguém

/ 288 leituras
AFINAL Sérgio Ninguém existe. É natural de Pedrouços, concelho da Maia e vive no concelho vizinho, Matosinhos, em Leça da Palmeira. É poeta, editor da magazine de poesia Eufeme e um autodida...

Sete perguntas a Alexandre Morais

/ 344 leituras
ALEXANDRE Morais nasceu na freguesia do Bonfim, na cidade do Porto. Licenciou-se em Artes Plásticas/Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e exerceu a docência (educa...

Sete perguntas a Carlos Costa

/ 293 leituras
CARLOS Costa é natural da freguesia de Cedofeita e vive nos dias de hoje em Paranhos, no Porto. Nos últimos anos vem desempenhando vários papéis no mundo do teatro e da performance. Este ano...

Sete perguntas a Marília Miranda Lopes

/ 579 leituras
MARÍLIA Miranda Lopes nasceu no Porto, onde atualmente reside durante o período em que exerce a actividade de professora do 3.º ciclo e Ensino Secundário, regressando depois ao centro de Vil...

Sete perguntas a Gil Nunes

/ 717 leituras
GIL Nunes nasceu na Madalena, Vila Nova de Gaia, onde continua a viver e a trabalhar na área da comunicação social. Publicou quatro contos e quatro romances. Revela que, com excepção dos con...

Sete perguntas a Rui Castro

/ 418 leituras
RUI Castro nasceu em Mafamude, no concelho de Vila Nova de Gaia. Vive agora do outro lado do rio Douro, na freguesia de Massarelos, Porto. Fez o percurso académico repartido entre estas duas...

Sete perguntas a Saguenail

/ 521 leituras
SAGUENAIL (Serge Abramovici) nasceu em Paris e vive há muitos anos na freguesia do Bonfim, Porto. Foi professor e pratica como amador o cinema e a escrita literária. O lugar onde vive é-lhe ...

Sete perguntas a Filipa Santos Sousa

/ 1237 leituras
FILIPA Santos Sousa nasceu em Vale de Cambra, onde fez o secundário, depois frequentou a Universidade do Minho, em Braga, a seguir estagiou no Porto, foi trabalhar para Lisboa como jornalist...

Sete perguntas a Clara Não

/ 1972 leituras
CLARA Não é ilustradora, designer, escritora e artista urbana, licenciada pela Faculdade de Belas Artes do Porto. Nasceu e vive no Porto, mais propriamente no Bonfim (uma vila dentro da cida...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Moreira (1956)

Se houver cuidado e proteção está-se a contribuir para uma concorrência leal. Os bons empresários estão interessados neste acordo porque a concorrência mais desleal é aquela que descuida a segurança e a proteção dos trabalhadores.

Rua da Estrada de Atenas

ANDAVAM os antepassados da Angela Merkel nas cavernas por entre ursos e outras barbaridades, quando Péricles edificava Atenas antes das guerras do Peloponeso.  Era assim o mundo, aos encontrões, como sempre. Depois de edificar a Acrópole verificou-se que custava muito lá subir e muito ventosa. De íngreme que era e de caminhos mal empedrados, as quadrigas patinavam e viravam-se de rodas e pernas para cima. Então, depois de muitos séculos prodigiosos, conseguiu-se finalmente domesticar os cavalos de uma maneira diferente de modo a que coubessem às dezenas e às centenas nos motores dos automóv...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 480 leituras
Quando há problema, mais difícil é resolver o prob ou o lema?