Teixeira de Pascoaes (1877-1952)

/ 4138 leituras
Existir não é pensar: é ser lembrado.

João Cabral de Melo Neto (1920-1999)

/ 2349 leituras
J., agora que de regresso / não a teu país, mas à mesma / língua em que te falei / íntimo de cama e mesa,

Mila Vidal Paletti

/ 263 leituras
Um grosso pingo de chuva / amolece a tarde e as letras do jornal. / Olho a mesa de café coberta

Papiniano Carlos (1918-2012)

/ 2664 leituras
O Sol / brilhava agora / cheio de alegria / e sacudia / a luz / da sua imensa cabeleira / sobre o mundo.

José Gomes Ferreira (1900-1985)

/ 980 leituras
Poeta o que é? / Um homem que leva / o facho da treva / no fundo da mina / mas apenas vê – / o que não ilumina 

Rodrigo Solano (1879-1910)

/ 1857 leituras
Num ai de luz profundo e soluçante, / Resvala ao mar o sol, como um guerreiro / Que, ferido d'um gladio traiçoeiro, / Na arena cae, vencido, agonisante.

Aurélio Porto

/ 2015 leituras
Na roseira jovem / rosa branca já aberta. / Ah, míope! A primeira borboleta!

Marília Miranda Lopes

/ 680 leituras
Assim os meus nervos / Em socalcos nos veios / Assim o cingir da pulsação / No vestido que aperta

Catarina Ferreira (1990)

/ 1488 leituras
Nas minhas mãos tenho o maior poder / Escrevo os medos e alegrias sem crer / Que esta minha condenação / Será a minha salvação

Ticiane Martins

/ 141 leituras
quero ser salva pela poesia / que as palavras me resgatem da dor / os versos me tragam o amor

Rui Manuel Amaral (1973)

/ 616 leituras
Noite escura, escura, escura. O que acontece se apagarem a luz de presença?

Fernando Aguiar (1956)

/ 2624 leituras
Dizer o que se diz equivale / a dizer o que não se diz.

Giuseppi Ungaretti (1888-1970)

/ 595 leituras
Entre uma flor colhida e outra dada / o inexprimível nada

Regina Guimarães (1957)

/ 1433 leituras
Num quintal dos arrabaldes / uma mulher / sem idade fixa / alimenta os animais / alguns seus, outros selvagens

Víctor Valqui Vidal (1942)

/ 95 leituras
No tengas miedo / a lo que no conoces. / El extraño puede ser / una nueva amistad.