COMPARTILHAR
Inicio Errata Errata

Errata

Errata

0
2766

160. No título do Jornal de Notícias online de 12 de novembro de 2018, onde se lê, “Premium: Bruno suspeito de ordenar invasão a Alcochete”, deve ler-se, “Prémio: Bruno suspeito de ordenar invasão a Alcochete”, por PML

159. No título do jornal Público online de 29 de outubro de 2018, onde se lê, “Teatro da Vilarinha sem Pé de Vento e em obras a partir de Janeiro”, deve ler-se, “Teatro da Vilarinha em pé de vento e em obras a partir de janeiro”, por PML

158. No título da última página do Jornal de Notícias de 23 de outubro de 2018, onde se lê “Espanha larga mina de urânio na fronteira”, deve ler-se, “Espanha larga mina na fronteira”, por PML

157. No título do Diário de Notícias (suporte de papel) de 14 de outubro de 2018, página 10, onde se lê “Um ministro azarado mas com as costas muito largas”, deve ler-se “Ministro Azeredo com as costas muito largas”, por PML

156. No título do jornal Público online de 10 de outubro de 2018, onde se lê, “À procura de um quarto por 250 euros. Em vão”, deve ler-se, “À procura de um vão por um quarto”, por PML

155. No cartaz exibido na manifestação ocorrida no dia 23 de Setembro de 2018 em frente ao Museu de Serralves onde se lê, “Serralves não é digno de Mappelthorpe” deve ler-se “Serralves não é digno de maple torpe”, por PML

154. No slogan do semanário Expresso onde se lê “Liberdade para pensar” deve ler-se “Liberdade para prensar” por PML

153. No título do artigo de opinião do jornal Público online de 7 de Setembro de 2018, onde se lê, “Joana Marques tornou-se Vital…”, deve ler-se, “Joana Marques tornou-se viral…”, por PML

152. No título do artigo de opinião da última página do jornal Público de 17 de agosto de 2018, onde se lê, “Voltar a Voltaire”, deve ler-se, “Voltaire e Voltaire”, por PML

151. Na manchete do Jornal de Notícias de 19 de agosto de 2018, onde se lê, “Câmara reconhece rostos e trava viciados nos casinos”, deve ler-se, “Câmara reconhece rostos e trava viciados no caos”, por PML

150. Na capa do semanário Sol de 25 de agosto de 2018, onde se lê “Costa apela: “Camaradas todas a Caminha””, deve ler-se, “Costa apela: “Camaradas todas para a caminha””, por PML

149. Na capa da revista VIP de 18 a 24 de agosto de 2018, onde se lê “No paraíso do Lago Como, a noiva de Ronaldo fala de amor”, deve ler-se, “No paraíso do Lago, como a noiva de Ronaldo fala de amor”, por PML

148. Na capa da revista Notícias Magazine de 12 de agosto de 2018, onde se lê, “A nova vida digital das profissões analógicas”, deve ler-se, “A nova vida vegetal das profissões analógicas”, por PML

147. No título da notícia do jornal PÚBLICO online de 12 de agosto de 2018, onde se lê, “Nelson Évora voou para o ouro que lhe faltava”, deve ler-se, “Nelson Évora voou para o ouro que lhe saltava”, por PML

146. No título da notícia do Jornal de Notícias de 12 de agosto de 2018, página 35, onde se lê, “Variações, de barbeiro excêntrico a artista visionário”, deve ler-se, “Variações de barbeiro excêntrico e artista visionário”, por PML

145. No título da notícia do semanário SOL de 28 de julho, página 14, onde se lê, “Presidente da EMEL quer ser líder da dieta maçónica”, deve ler-se, “Presidente da EMEL quer ser líder em direta maçónica”, por PML

144. No título da notícia do Jornal de Notícias de 27 de julho de 2018, página 27, onde se lê, “Da horta da cadeia saem batatas para o Banco Alimentar”, deve ler-se, “Saem da cadeia para a horta plantar batatas para o Banco Alimentar”, por PML

143. No título da notícia do Jornal de Notícias de 27 de julho de 2018, página 20, onde se lê, “Chefe do SEF recebia luvas de imigrantes no posto de trabalho”, deve ler-se, “Chefe do SEF recolhia luvas de imigrantes no posto de trabalho”, por PML

142. No título da notícia da capa do Jornal de Notícias, de 27 de julho de 2018, onde se lê, “Com a cabeça na Lua”, deve ler-se, “Com a Lua na cabeça”, por PML

141. No título da notícia da capa do Jornal de Notícias, de 18 de julho de 2018, onde se lê, “João Semedo 1951-2018 Um adeus emocionado da Esquerda à Direita”, deve ler-se, “João Semedo 1951-2018 Um adeus emocionado da esquerda da Direita””, por PML

140. No título da notícia da capa do Jornal de Notícias, de 18 de julho de 2018, onde se lê, “Braga Castigo a quem passa poucas multas gera revolta na GNR”, deve ler-se, “Braga Castigo a quem caça poucas multas gera revolta na GNR”, por PML

139. No prospecto divulgado nas ruas de Vila Nova de Gaia alusivo à compra de carros usados, onde se lê “Ligue já Prudêncio” deve ler-se “Ligue à Prudência”, por PML

138. No título da notícia do Jornal de Notícias online de 12 de julho de 2018, onde se lê, “IMI sobre quatro milhões às custas do sol”, deve ler-se, “IMI sobe quatro milhões às costas do sol”, por PML

137. No título da notícia do Jornal de Notícias de 5 de julho de 2018, página 20, onde se lê, “PSP detido em rede de assaltos apanhado a pedir prenda”, deve ler-se, “PSP detido em rede de assaltos apanhado a pedir que o prenda”, por PML

136. No título da notícia do Jornal de Notícias de 4 de julho de 2018, página 7, onde se lê, “Greve continua apesar dos serviços mínimos”, deve ler-se, “Greve continua a pesar nos serviços mínimos”, por PML

135. No anúncio do Lisbon Revisited onde se lê “Leituras com músicas de Sérgio Pelágio”, deve ler-se “Leituras com músicas de Sérgio Plágio”, por PML

134. No título do jornal i, de 11 de junho de 2018, página 34, onde se lê, “Na primavera das estações, o dilúvio emocional de Nick Cave lavou a alma”, deve ler-se, “Na primavera das estações, o dilúvio emocional de Nick Cave lavou a lama”, por PML

133. No slogan da marca WIZINK, onde se lê, “O teu banco fácil” deve ler-se “O teu banco fázil“, por PML

132. No cabeçalho do semanário Sol, onde se lê “Conselheiro Editorial: José António Saraiva”, deve ler-se “Conselheiro Espiritual: José António Saraiva”, por PML

131. No título da notícia do Jornal de Notícias de 3 de junho de 2018, página 11, onde se lê, “Secretário de Estado apupado no Estoril”, deve ler-se, “Secretário de Estado apurado no Estoril”, por PML

130. No título da sobrecapa do Jornal de Notícias de 3 de junho de 2018, onde se lê, “Quem vem e atravessa o rio.” deve ler-se “Quem vem e atravessa o frio.”, por PML

129. No título da notícia do Jornal de Notícias de 31 de maio de 2018, página 5, onde se lê, “Multas são a valer a partir de hoje”, deve ler-se, “Multas são a doer a partir de hoje”, por PML

128. onde se lê besta, leia-se testa; onde se lê burro, leia-se murro; onde se lê bula, leia-se mula; onde se lê buço, leia-se chuço; bruxa, chucha; breve, neve; bucho, luxo; borda, corda. Por Regina Guimarães in Errata, com ideia e desenho de Paulo Ansiães Monteiro, 2017

127. No título da notícia do Jornal de Notícias de 3 de maio de 2018, página 22, onde se lê, “Andante virtual ainda não avançou”, deve ler-se, “Andante virtual ainda não andou”, por PML

126. No título da notícia do Jornal de Notícias de 30 de abril de 2018, página 20, onde se lê, “Pinos dividem comerciantes e moradores”, deve ler-se, “Hinos dividem comerciantes e moradores”, por PML

125. Na página 21, 1.ª coluna, linha 12, da revista Erva Rebelde n.º 2, 2018, onde se lê perétua, deve ler-se perpétua

124. A marca de champô TRESemmé deve ler-se e escrever-se TRESemmmé, por PML

123. No título da notícia do Jornal de Notícias de 13 de abril de 2018, página 15, onde se lê, “Seguradora alia-se ao Coliseu”, deve ler-se, “Seguradora afia-se ao Coliseu”, por PML

122. No título da notícia do Jornal de Notícias de 13 de abril de 2018, página 10, onde se lê, “Roubo de luz vale 70 milhões”, deve ler-se, “ Roubo na Luz vale 70 milhões”, por PML

121. No título da notícia do Jornal de Notícias de 4 de abril de 2018, página 20, onde se lê, “Avarias nos semáforos lança caos no trânsito”, deve ler-se, “Avarias nos semáforos acende caos no trânsito”, por PML

120. No título da notícia do Jornal de Notícias de 16 de março de 2018, página 45, onde se lê, “Pinto da Costa e Fernanda – O amor está de novo no ar”, deve ler-se, “ Pinto da Costa e Fernanda – O amor está de novo no Coliseu”, por PML

119. No aviso afixado na Rua do Bonjardim, no Porto, onde lê, “Os peões devem utilizar este percurso”, deve ler-se “Os peões devem utilizar aquele percurso”, por PML

118. No título da notícia do Jornal de Notícias de 9 de março de 2018, página 24, onde se lê, “Juntas queixam-se de falta de apoio”, deve ler-se, “ Juntos queixam-se de falta de apoio”, por PML

117. No título da notícia da plataforma SAPO, publicada em 23 de fevereiro de 2018, onde se lê, “Cristina Branco chamou Filho da Mãe, Mário Laginha e Kalaf para álbum que é “uma libertação”, deve ler-se, “Cristina Branco chamou filho da mãe a Mário Laginha e Kalaf para libertação do álbum”, por PML

116. No título da notícia do Expresso online de 6 de março de 2018, onde se lê “Sexo consentido é a partir de que idade? Em Portugal é aos 14 anos, em França vai haver este mês nova lei” deve ler-se, “Sexo com sentido é a partir de que idade? Em Portugal é aos 14 anos, em França vai haver este mês nova lei”, por PML

115. No título da notícia do Público online de 28 de fevereiro de 2018, onde se lê “Lei da limpeza das florestas inflama debate quinzenal” deve ler-se, “Falta da limpeza das florestas inflama debate quinzenal”, por PML

114. No título da notícia do Jornal de Notícias de 25 de janeiro de 2018, página 18, onde se lê, “Metro com mais espaço arranca com protestos”, deve ler-se, “Metro mais comprido arranca com protestos”, por PML

113. No título da notícia do Jornal de Notícias de 27 de fevereiro de 2018, página 7, onde se lê, “Capoulas aconselha a cortar nas festas para limpar matas”, deve ler-se, “Capoulas aconselha a limpar festas para cortas as matas”, por PML

112. No título da notícia do Jornal de Notícias de 20 de fevereiro de 2018, última página, onde se lê, “Bus pára onde elas mandam”, deve ler-se, “ Bus para onde elas mandam”, por PML

111. No título da notícia do Jornal de Notícias de 13 de fevereiro de 2018, página 15, onde se lê, “Psicólogos Bastonário pede apoio a Belém”, deve ler-se, “Bastonário pede apoio psicológico a Belém”, por PML

110. No título da notícia do Jornal de Notícias de 9 de janeiro de 2018, página 11, onde se lê, “Incinerado antiviral que custou 22,5 milhões”, deve ler-se, “Incinerados 22,5 milhões”, por PML

109. Na manchete do jornal Record, do dia 7 de fevereiro de 2018, onde se lê “Não posso permitir estes desvarios”, deve ler-se “Não posso permitir estes VAR”, por PML

108. No anúncio publicado no PÚBLICO, no dia 8 de janeiro de 2018, na página 24, onde se lê “Exclusivo para estudantes – notícias que são mesmo verdade”, deve ler-se “Exclusivo para estudantes – notícias que são mesmo vedadas”, por PML

107. Na notícia publicada no PÚBLICO de 24 de janeiro de 2018, página 18, onde se lê “O artista Alexandre Farto, Vhils, anunciou ontem que desistiu de realizar a intervenção de arte urbana…”, deve ler-se “O artista Alexandre, farto de Vhils, anunciou ontem qu desistiu de realizar a intervenção de arte urbana…”, por PML

106. No artigo de opinião de Afonso Camões publicado na página 2 do Jornal de Notícias de 14 de janeiro de 2018, onde se lê “Leonardo sabia-a toda!”, deve ler-se “Afonso sabe-a toda”, por PML

105. Na manchete do Jornal de Notícias de 17 de janeiro de 2018, onde se lê “Duplicam os católicos que querem anular casamento”, deve ler-se “Duplicam pedidos de anulação de casamentos católicos”, por PML

104. Na manchete do Jornal de Notícias de 7 de janeiro de 2018, onde se lê “Vendas fraudulentas no Facebook disparam”, deve ler-se “ Facebook dispara vendas fraudulentas”, por PML

103. No título da notícia do Jornal de Notícias de 7 de janeiro de 2018, página 9, onde se lê, “Gosto de ser Odilão porque sou único”, deve ler-se, “ Gosto de ser Odilão porque sou o único”, por PML

102. No título da notícia do Record de 10 de janeiro de 2018, página 22, onde se lê, “Visados estão a ser vítimas de Janela”, deve ler-se “Vítimas estão a ser visadas da janela”, por PML.

101. No título do artigo de opinião de Manuel Carvalho, no PÚBLICO de 10 de janeiro de 2018, página 46, onde se lê “Um partido com medo de existir”, deve ler-se “Existir com medo de um partido”, por PML

100. No slogan do hospital Trofa Saúde onde se lê “Construímos relações de confiança” deve ler-se “Construímos rações de confiança

99. Na capa do livro Ingrediente Secreto onde se lê ”Henrique Sá Pessoa” deve ler-se “Henrique Sã Pessoa”, por PML

98. Na chamada de primeira página do PÚBLICO de 22 de dezembro de 2017, onde se lê “Cidadãos não evitam maioria favorável à separação de Espanha” deve ler-se “Cidadãos alcançam maioria favorável à separação de Espanha”, por PML

97. No título da notícia do Jornal de Notícias de 17 de dezembro de 2017, página 8, onde se lê, “Vieira da Silva sabia desde junho”, deve ler-se, “Vieira da Silva assobia desde junho”, por PML

96. No título da notícia do Jornal de Notícias de 16 de dezembro de 2017, página 21, onde se lê, “Viviam com luxos à custa do tráfico”, deve ler-se, “Viviam à custa do tráfico e com luxos”, por PML

95. No título da notícia do PÚBLICO de 22 de dezembro de 2017, página 7, onde se lê “Portugal não Pode Esperar junta Santana e Rio” deve ler-se “Portugal não pode esperar por Santana e Rio juntos”, por PML

94. No título da notícia do Jornal de Notícias de 12 de dezembro de 2017, página 24, onde se lê, “BE quer que STCP opere linhas da Resende”, deve ler-se, “BE quer que STCP cerze linhas da Resende”, por PML

93. No slogan do Continente onde se lê “O que rende é ir ao Continente”, deve ler-se, “O que prende é ir ao Continente”, por PML

92. No título da notícia publicada no PÚBLICO de 12 de janeiro de 2017, página, 11, onde se lê, “Ministério promete ter em conta relatório do grupo de avaliação na transferência do Infarmed”, deve ler-se “Ministério da Saúde promete ter em conta relatório do grupo de avaliação na transferência do Infarmed para o Porto”, por PML

91. No título da notícia publicada no JN de 10 de dezembro de 2017, página 12, onde se lê, “PCP critica Governo refém do capital”, deve ler-se, “PCP refém do Governo critica capital”, por PML

90. Na manchete do jornal i do dia 7 de dezembro de 2017, onde se lê “Medo a Oriente”, deve ler-se “Médio Oriente”, por PML

89. Na descrição do produto Ausonia afixado no hipermercado Continente, onde se lê “Penso Incotinenecia” deve ler-se “Penso Incontinência”, por PML

88. No anúncio publicado na página online do Jornal de Notícias onde se lê “CASINOSOLVERDE.PT”, deve ler-se, “CASINOSOLVENTE.PT”, por PML

87. No nome da agência de viagens sita na Rua de Pinto Mourão, n.º 160, em Vila Nova de Gaia, onde se lê, “Gate 39 viagens”, deve ler-se “Gate 160 viagens”, por PML

86. No slogan da marca Decathlon, onde se lê “Desporto para todos – Tudo para desporto”, deve ler-se “Desporto para tolos – Tolos por desporto”, por PML

85. Na chamada de primeira página do JN de 24-11-2017, onde se lê, “Alerta para as falsas promoções”, deve ler-se, “Alerta para as falsas emoções”, por PML

84. No título da notícia publicada no JN de 18 de novembro de 2017, página 10, onde se lê, “Patriarca diz que pároco que foi pai pode ficar na Igreja”, deve ler-se, “Patriarca diz que pároco que é pai pode ficar na Igreja”, por PML

83. No título da notícia publicada no JN de 18 de novembro de 2017, página 20, onde se lê, “Traficante traído por violência doméstica”, deve ler-se, “Traficante atraído por violência doméstica”, por PML

82. Na campanha do perfume CR7, onde se lê “Dê o melhor de si”, deve ler-se “Dê-me o melhor de si”, por PML

81. Na manchete do Jornal de Notícias de 13 de novembro de 2017, onde se lê “Médicos aliciados com mil euros para recomendar colegas”, deve ler-se “Médicos agraciados com mil euros por recomendar colegas”, por PML

80. No aviso afixado nos cais das estações do Metro do Porto, onde se lê, “Atravesse no fim do cais. Obrigado”, deve ler-se, “Obrigado atravessar no fim do cais.”, por PML

79. No maço de cigarros de António Lobo Antunes onde se lê, “Fumar mata – deixe já.”, deve ler-se, “Fumar mata – deixe lá.”, por PML

78. No cartaz da manifestação realizada no dia 6 de novembro, no Porto e em Lisboa, promovida pela Plataforma Cultura em Luta, onde se lê “A cultura não se fica”, deve ler-se, “A cultura não se fia”, por PML

77. No título da notícia publicada no JN de 04-11-2017, página 17, onde se lê, “Vítor do Ouro” condenado a 9 anos e meio”, deve ler-se, “Vítor de Ouro” condenado a 9 anos e meio”, por PML

76. Na manchete do Jornal de Notícias do dia 04-11-2017 onde se lê “Governo aperta vigilância às empresas de segurança”, deve ler-se “Governo alerta vigilância às empresas de segurança”, por PML

75. A marca de meias de lycra, “Domar”, deve ler-se, “Do mar”, por PML

74. No título da notícia publicada na primeira do JN de 29-10-2017, onde se lê, “Matrimónio: Portugueses casam cada vez mais à semana”, deve ler-se, “Matrimónio: Portugueses caçam cada vez mais à semana”, por PML

73. No título da notícia publicada na página 21, do JN de 29-10-2017, onde se lê, “Juiz polémico diz que acórdão está a ser deturpado”, deve ler-se, “Juiz polémico diz que acórdão está a ser estuprado”, por PML

72. No título da notícia publicada na página 36, do JN de 29-10-2017, onde se lê, “Click to Pray, uma outra forma de rezar”, deve ler-se, “Click to Pay, uma outra forma de rezar”, por PML

71. Na manchete do Jornal de Notícias do dia 20-10-2017 onde se lê “Metro do Porto lotado e com falta de carruagens”, deve ler-se “Metro do Porto cotado e com falta de carruagens”, por PML

70. O Jornal de Notícias do dia 22-10-2017, no qual vem publicada a manchete “Juiz desculpa violência com adultério de mulher” deve ser lido de pernas para o ar, por PML

69. No título da notícia publicada na página 15, do JN de 20-10-2017, onde se lê, “Extinção da Gaianima foi “premeditada””, deve ler-se, “Extinção da Gaianima foi “premiada””, por PML

68. Na manchete da revisão Visão de 18-10-2017, onde se lê “Desesperadamente SÓS” deve ler-se “Desesperadamente SOS”, por PML

67. Na manchete do JN de 12-10-2017, onde se lê, “Acusado”, deve ler-se, “Acossado”, por PML

66. Na manchete do JN de 11-10-2017, onde se lê, “Doentes obesos aumentam e já esperam um ano de cirurgia”, deve ler-se, “Obesos esperam um ano por cirurgia”, por PML

65. No reclamo do hospital do grupo Trofa Saúde situado em Gaia, onde se lê “Hospital Privado de Gaia”, deve ler-se, “Gaia privada de hospital”, por PML

64. No quiosque da Conservatória do Registo Civil de Gaia afeto ao Cartão de Cidadão, onde se lê “Olhe para a camera”, deve ler-se, “Olhe para a câmara”, por PML

63. No título da notícia publicada na página 16, do JN de 07-10-2017, onde se lê, “Empregada de limpeza arguida por furtar droga e notas da PJ”, deve ler-se, “Empregada limpa droga e notas da PJ”, por PML

62. No título da notícia publicada no jornal PÚBLICO online de 28-09-2017, onde se lê, “CGD, BCP e Novo Banco arrancam com plataforma do malparado”, deve ler-se, “CGD, BCP e Novo Banco arrancam com plataforma mal parada”, por PML

61. No título publicado na 1.ª página do JN de 06-10-2017, onde se lê, “Montenegro recusa disputa da liderança e abre caminho a Rangel”, deve ler-se, “Montenegro recusa liderança e abre disputa a granel”, por PML

60. No título da notícia publicada no JN de 23-09-2017, onde se lê, “Rio Tinto despoluído e a céu aberto”, deve ler-se, “Rio despoluído e a céu aberto”, por PML

59. Na campanha dos vinhos da marca Dão, onde se lê, “Grão Vasco / Este é o novo Dão.”, deve ler-se, “Grão Vasco /Este novo, dão.”, por PML

58. No título do direito de resposta inserto na página 9, do JN de 23-09-2017, onde se lê, “Direito de resposta do Grupo Cofina”, deve ler-se, “Direito de resposta do Grupo Cafina”, por PML

57. No título da notícia publicada na página 11, do JN de 29-09-2017, onde se lê, “Veira de Carvalho quer baralhar contas a PSD/CDS”, deve ler-se, “Vieira de Carvalho quer baralhar contas a PSD/CDS”, por PML

56. Na legenda da fotografia inserta no fundo da página 11, do JN de 29-09-2017, onde se lê, “Elisa Ferraz, Mário Almeida e António Caetano”, deve ler-se, “Elisa ferra Mário Almeida e António Caetano”, por PML

55. No título da notícia publicada no JN de 17-09-2017, na página 13, onde se lê, “Faltam profissionais para as demências”, deve ler-se, “Faltam demências para os profissionais”, por PML

54. Na manchete do JN de 24-09-2017, onde se lê, “Secretas sem acesso a dados para combater terroristas”, deve ler-se, “Secretas sem acesso a dardos para combater terroristas”, por PML

53. No título da primeira página do JN de 22-09-2017, onde se lê “40 portugueses esperam coração como Salvador” deve ler-se “40 portugueses esperam coração salvador”, por PML

52. Na frase inserta no último parágrafo da notícia do Público online, de 19 de setembro de 2017, onde se lê, “No próximo dia 26, Luís Filipe Menezes vai ser ouvido como testemunha.”, deve ler-se, “No próximo dia 26, Luís Filipe Menezes vai ser ouvido como testemunha?”, por PML

51. Na manchete do JN de 22-09-2017, onde se lê, “Moreira e Pizarro empatados”, deve ler-se, “Moreira estampado em Pizarro”, por PML

50. No título da notícia publicada no semanário EXPRESSO online, no dia 1 de setembro de 2017, onde se lê,ANACOM proíbe MEO de faturar 2 gigas adicionais a quem não o pediu expressamente” deve ler-se ANACOM proíbe MEO de faturar duas gigas adicionais a quem não as pediu expressamente”, por PML

49. No cartaz de Rui Moreira para as eleições autárquicas de 2017, afixado na freguesia de Campanhã, onde se lê “Campanhã também é por aqui” deve ler-se “A campanha também é por aqui”, por PML

48. No cartaz do PS para as eleições autárquicas de 2017, no Porto, onde se lê, “Fazer Mais, Fazer Melhor, Manuel Pizarro, o Próximo Presidente“, deve ler-se, “Fazer Tanto e Tão Pouco, Manuel Pizarro, Próximo do Presidente“, por Domingos da Mota

47. No título da notícia publicada no semanário SOL online, no dia 11 de setembro de 2017, onde se lê, “O gene Dalí não mora aqui” deve ler-se, “Aqui não mora o gene Dalí”, por PML

46. No título da notícia publicada no JN de 18-09-2017, na página 44, onde se lê “Reset anímico e um lance bem ensaiado” deve ler-se “alt+f4+r+enter anímico e um lance bem ensaiado”, por PML

45. No título do livro da editora Hoxton Mini Press – Penguin Book, onde se lê, “REALLY GOOD DOG”, deve ler-se, “REALLY GOD DOG”, por PML

44. No slogan da McDonald’s onde se lê, “i´m lovin´it” deve ler-se, “i´m lovin´eat”, por PML

43. Nos cartazes da manifestação dos enfermeiros que decorreu entre 11 a 15 de setembro, onde se lê, “Basta Pela Valorização da Enfermagem”, deve ler-se, “Batas pela valorização da enfermagem”, por PML

42. Na campanha de marketing da marca Casal Garcia onde se lê, “Alegria é viajar sem destino”, deve ler-se “Alegria é viajar sem tino”, por PML

41. No cartaz de candidatura à Câmara de Vila do Conde, do Movimento NAU, onde se lê, “Nós Avançamos Unidos Elisa Ferraz”, deve ler-se, “Nós Avançamos Unidos Elisa Ferra”, por PML

40. No manifesto eleitoral de João Paulo Correia como candidato pelo PS à Junta de Freguesia de Mafamude e Vilar do Paraíso, em Gaia, onde se lê, “João Paulo Correia dedicado a si”, deve ler-se, “João Paulo Correia dedicado a si próprio”, por PML

39. No cartaz do movimento político TOP às eleições autárquicas de 2017, em Penafiel, onde se lê, “Penafiel é TOP”, deve ler-se, “Penafiel é POP”, por PML

38. No cartaz da PSD para as eleições autárquicas de 2017, na Maia, onde se lê, “Maia em primeiro.” deve ler-se, “Maia em primeiro…”, por PML

37. No cartaz da PSD para as eleições autárquicas de 2017, em Amarante, onde se lê, “Amarante afirma-se como prometido” deve ler-se, “Amarante afirma-se comprometido”, por PML

36. No cartaz de Joaquim Barbosa como candidato à Junta de Freguesia de Canelas, Vila Nova de Gaia, onde se lê, “Joaquim Barbosa Canelas gaia de novo”, deve ler-se, “Joaquim Barbosa às canelas de novo”, por PML

35. No título da notícia publicada no Jornal da Trofa online, no dia 5 de agosto de 2017, onde se lê, “José Fernando é candidato ao Muro” deve ler-se, “José Fernando é candidato ao murro”, por PML

34. No cartaz de Valentim Loureiro para as eleições autárquicas de 2017, em Gondomar, onde se lê, “O presidente está de volta”, deve ler-se, “O presidente está à solta”, por PML

33. No cartaz da CDU para as eleições autárquicas de 2017, de Sesimbra, onde se lê, “Juntos Avançamos, Francisco Jesus, Odete Graça”, deve ler-se, “Juntos Avançamos, com a Graça de Jesus” por Domingos da Mota

32. No título da notícia publicada no Jornal de Notícias online, no dia 17 de agosto de 2017, onde se lê “Tribunal rejeita impugnação à candidatura de Moreira no Porto” deve ler-se “Tribunal rejeita impugnação à candidatura de Moreira no Porto.” por PML

31. No cartaz campanha do CDU para as Autárquicas 2107 onde se lê “Projecto e Confiança CDU no concelho e no país” deve ler-se “Projeto e Confiança CDU no concelho, no país e na Venezuela” Por PML

30. No cartaz da campanha de António Parada para a Câmara de Matosinhos, onde se lê “António Parada Sim” deve ler-se “António, Parada? Sim.” por PML

29. No slogan da campanha eleitoral de Rui Moreira para a Câmara do Porto, onde se lê, “Rui Moreira O Nosso Partido é o Porto”, deve ler-se, “Rui Moreira O Nosso Porto está partido” por Domingos da Mota

28. Na notícia do Jornal de Notícias, online, de 13 de agosto de 2017, onde se lê, “Ágata aceitou o convite para fazer parte de uma lista independente que vai concorrer à Câmara Municipal de Castanheira de Pêra“, deve ler-se, “Ágata aceitou o convite para fazer parte de uma lista dependente do CDS que vai concorrer à Câmara Municipal de Castanheira de Pêra” por Domingos da Mota

27. Na manchete da revista CARAS de 1 de agosto de 2017, onde se lê “Verão com estilo” deve ler-se “Eles as verão com estilo” por PML

26. No cartaz da campanha do PSD para a Câmara de Gaia, onde se lê “Cancela Moura” deve ler-se “Cancela! Moura.” por PML

25. No título da notícia publicada no Jornal de Notícias online, no dia 6 de agosto de 2017, onde se lê “Presos denunciam pulgas, baratas e amianto na cadeia” deve ler-se “Presos denunciam pulgas e baratas da cadeia” por PML

24. Na campanha do Galaxy S6 da Samsung, onde se lê “O futuro é agora. Brevemente disponível.” deve ler-se “O futuro é agora. Já disponível.” por PML

23. No cartaz da campanha do Bloco de Esquerdo para as eleições autárquicas em Gaia, onde se lê “A Câmara de Gaia nunca teve um Vereador do Bloco. Se você quiser, este ano isso pode mudar.” deve ler-se “A Câmara de Gaia nunca teve um varredor do Bloco. Se você quiser, este ano a limpeza pode começar.” por PML

22. No título do artigo de opinião de Pedro Filipe Soares publicado no Diário de Notícias de 3 de agosto de 2017, onde se lê “O ócio do CDS” deve ler-se “O sócio do CDS” por PML

21. No slogan do Hipermercado Pingo Doce, onde se lê “Sabe bem pagar tão pouco” deve ler-se “Custa tanto pagar tão pouco” por PML

20. No cartaz do Bloco de Esquerda para a Câmara de Gaia, onde se lê “Mais para quem tem menos” deve ler-se “Mais para quem teme menos” por PML

19. No slogan do semanário Expresso onde se lê “Liberdade para pensar” deve ler-se “Liberdade para inventar” por PML

18. Na campanha do Hipermercado Continente onde se lê “A confiança conquista-se produto a produto” deve ler-se “A ganância consolida-se produto a produto” por PML

17.  No cartaz para as autárquicas em Gondomar, do candidato Daniel Vieira, da CDU, onde se lê, “QUE SEJA AGORA!“, deve ler-se, “ANTES AGORA QUE NA HORA!” Por Domingos da Mota

16. No tema de capa do JN Urbano de 23 de julho de 2017, onde se lê “As pragas que vêm do céu” deve ler-se “As pragas que caem do céu” por PML

15. No anúncio do PS publicado no JN de 30 de Julho de 2017, na página 13, onde se lê “Vozes do Porto, Ciclo de Debates”, deve ler-se “Vozes do Porto, Ciclo de Rebates”. Por Domingos da Mota

14. No aviso afixado na porta da carruagem do metro do Porto, onde se lê “Antes de entrar deixe sair.” deve ler-se “Calma! Antes de entrar deixe sair.” por PML

13. No título da primeira página do JN de 23-07-2017, onde se lê “Governo vai gastar 700 milhões em armas” deve ler-se “Governo vai estoirar 700 milhões em armas” Por PML

12. No título da notícia publicada no JN de 23-07-2017, na página 25, onde se lê “Marco promete levar o metro até ao centro” deve ler-se “Marco promete esticar o metro até ao centro” Por PML

11. No subtítulo e título da notícia publicada no JN de 23-07-2017, na página 24 e 25 onde se lê “Rolo compressor do turismo e a vertigem dos senhorios deixam comerciantes-inquilinos sem margem para resistir” deve ler-se “Rolo compressor do turismo e a vertigem dos senhorios esmagam comerciantes-inquilinos sem dó nem piedade” e onde se lê “Históricos ficam para trás” deve ler-se “Históricos ficam lá para trás” Por PML

10. No slogan da campanha do CDU para as Autárquicas 2107onde se lê “Confiança numa vida melhor” deve ler-se “Confiança numa vida melhor para os militantes comunistas” Por PML

9. No título da notícia publicada no JN de 23-07-2017, na página 20, onde se lê “Dúvidas salvam advogada do jet set” deve ler-se “Dúvidas do jet set salvam advogada” Por PML

8. No slogan da campanha do PS para a Câmara do Porto, onde se lê “Fazer pelos dois” deve ler-se “Fazer pela vida” Por PML

7. No título da notícia publicada no JN de 16-07-2017, na página 41, onde se lê “Emília a um passo de ter cadeira de rodas” deve ler-se “Emília a um “passo” de ter cadeira de rodas” Por PML

6. No slogan da campanha do PSD para a Câmara do Portoonde se lê “Porto Autêntico” deve ler-se “Nevogilde: Porto Autêntico” Por PML

5. No título da notícia publicada no JN de 16-07-2017, na última página, onde se lê “Libertados mas proibidos de mexer em explosivos” deve ler-se “Libertados mas proibidos de mexer em explosivos para não se queimarem mais” Por PML

4. No slogan da campanha do BE para a Câmara do Porto onde se lê “Porto: agora as pessoas” deve ler-se “Porto: agora nós” Por PML

3. No título da notícia publicada no JN de 16-07-2017, na página 60, onde se lê “Bolas paradas tramam poveiros“, deve ler-se “Bolas paradas travam poveiros” por PML

2. No título da notícia publicada no JN de 14-07-2017, na página 4, onde se lê “O coração de Américo cansou-se“, deve ler-se “Depois de seis operações, o coração de Américo cansou-se” Por PML

1. Onde se lê, “Eurodeputado do PS chama “cigana” e “não só pelo aspecto” a deputada socialista“, deve ler-se, “Eurodeputado do PS chama cigana e volta a chamar cigana a deputada socialista que não é cigana“. Por Domingos da Mota

NOTA DO EDITOR: Inspirados nos poemas de Fernando Aguiar e Regina Guimarães sob o título “Errata” fomos criando algumas alternativas a títulos de notícias, slogans publicitários e, agora, às campanhas eleitorais. Trata-se de um jogo de palavras com acréscimo ou não de novas letras ou palavras. Umas vezes tenta aproximar-se das regras do anagrama, mas, em geral, são trocadilhos com a situação retratada. É um bom exercício linguístico para quem quer manter uma mente sã num corpo são. Para os mais suscetíveis à ERRATA, em especial os fanáticos do futebol e da militância política, lembramos que errare humanum est, sed perseverare diabolicum.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here