Altar

/ 142 leituras
O CHÃO descomprimido em pó é o único entrave no caminho de um homem só. O calor agarra-se com força aos braços, a transpiração escorre-se na ânsia de se desprender da térmica sensação de se ...

As árvores morrem tombadas, assassinadas

/ 139 leituras
O VENTO apanha-me de surpresa, sopra-me arfante na nuca e atrás da orelha direita, assobia como se pretendesse assustar-me pelo impreparo, como aquela palmada amiga que afaga abrutalhadament...

“mas Deus é grande”

/ 233 leituras
TÍMIDA, aproxima-se do balcão. Educadamente aguarda que as senhoras dentro do casulo se apercebam da sua presença. Quando o fazem, dão as boas noites com um sorriso e um aceno de cabeça e es...

Pessach

/ 162 leituras
O PUTO abana-se uno com a sineta que trina, o braço cansado pende como um ramo seco de árvore que sonha ser galho, anunciando vem aí o compasso!, a opa alva dança e as nuvens riem-se quando ...

Quando a poesia fechou os olhos

/ 233 leituras
QUANDO descemos para os calabouços, a luz trémula fazia prever um sombreado disforme nas paredes, quase como se nos pudéssemos mascarar de granito e darmos as mãos no escuro, onde as pedras ...

Eles Verão

/ 200 leituras
FAÇO questão que a vela ilumine o final de dia, perdeu a finalidade de me ajudar num certa hipnose oratória ou abstracionista, para passar a ser a recordação que mantenho de uma vida que não...

Dois lados da mesma moeda sem valor

/ 237 leituras
ESCOLHO salada de atum sem qualquer alternativa. A funcionária funga um sorriso por baixo dos óculos embaciados e, ao mesmo tempo, grita alto o suficiente para que o pedido entre pelo postig...

Até já!

/ 232 leituras
O BALCÃO tem alguns pontos um pouco pegajosos, talvez do hábito de rasparem o platinado que separa a sorte do azar, dos fundos dos copos de fino ou dos sujos. A mão grande, calosa, seivosa, ...

E por aí fora

/ 223 leituras
HABITAVAM-ME várias vantagens de ser (porque todos somos um pouco do que vivemos) uma aldeia a quem, contra sua vontade, teimavam em chamar vila. Uma delas era, sem dúvida, a estação dos cor...

“Meia regueifa e uma vida inteira”

/ 284 leituras
COM o tempo chuvoso não me parece que isto se possa chamar andar a pé ou caminhar, vou simplesmente a navegar pela rua abaixo, vendo entretido pequenos regatos que se formam nas bermas limpa...

“Vida às prestações”

/ 267 leituras
O TERMO meio do monte deve ter sido retirado por alguém que se deslocou aqui, onde estou. A carrinha entra folgadamente e sem custo, mas a saída avizinha-se difícil pois não há local para po...

“É a vida”

/ 375 leituras
A VIDA faz uma pausa prolongadamente breve na tarde brevemente prolongada. Ouço suspiros árduos serem derramados na impossibilidade masculina de ver ter lágrimas nas faces ásperas de soca...

“Translação instantânea”

/ 207 leituras
DURMO baixinho, entro no sono sem que ele se aperceba, encontro à minha espera um longo caminho que me levará ao meu verdadeiro útero. Vou voltar por entre pétalas, em poesia que floriu s...

Cloud-icando

/ 180 leituras
O FRIO vai surgindo, deixa-se cair como um lençol invisível pelas costas. Arrepio-me. Por momentos penso que é já de manhã. Os dias têm adormecido cansados, pudera, vou deixando-os ao aba...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Manuel Pizarro (1964)

AGORA, em vez de se tentar encontrar um regime de arrendamento equilibrado, entre o senhorio e o arrendatário, resolveram romper esse equilíbrio, colocando os arrendatários individuais no arrendamento habitacional e os arrendatários industriais e comerciais no arrendamento não habitacional, completamente à mercê do senhorio.

Rua da Estrada da estrada

AS estradas que vão pelas cotas altas das encostas têm larguezas de vistas que nem se imagina. Sigam-se as instruções: onde aparecerem placas a dizer Estrada, certifique-se que essas larguezas de vistas estão mesmo lá; de seguida, procure-se um local bom para paragem (dantes havia uns sinais muito lindos com a silhueta das camionetas da carreira) e pare-se olhando a encosta da outra banda. Chegou o momento da contemplação. Use-se um bom produto para clarear o humor vítreo, a córnea, a pupila e o resto da tralha de ver, e mantenham-se as pálpebras bem abertas. Pode fotografar, desenhar ou or...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 473 leituras
As portas do Paraíso têm campainha?