A entrevista que nunca existiu

/ 150 leituras
Texto de Levi António Malho

Ao desafio com João Manuel Ribeiro

/ 1382 leituras
O amor é um avassalador paradoxo.

Ao desafio com João Pedro Mésseder

/ 1393 leituras
Questionário de Paulo Moreira Lopes

Ao desafio com Paulo José Borges

/ 496 leituras
Questionário de Paulo Moreira Lopes

Ao desafio com Antero de Alda

/ 1547 leituras
A metáfora é uma forma de exorcizar a dor.

Ao desafio com Rui Manuel Amaral

/ 1777 leituras
Roubo tudo o que valha a pena. Palavras, frases, ideias. Normalmente, roubo aos mortos.

Ao desafio com Mário de Oliveira

/ 2384 leituras
Não seria ser humano, se não fosse homem de paz.

Ao desafio com Teo: o cão de raça imaculada

/ 1018 leituras
Não escolhi ser pastor; foi o rebanho que me escolheu a mim.

Ao desafio com Inês Lourenço

/ 1514 leituras
A Poesia é desde tempos longínquos aquela expressão literária que mais questiona os diversos poderes.

Ao desafio com Francisco Duarte Mangas

/ 1519 leituras
O tempo é um rio irrevogável, temos de preparar a barca.

Ao desafio com Carlos Costa

/ 433 leituras
As afeições densificam.

Ao encontro de Fernando Echevarría

/ 846 leituras
Entrevista: Paulo Moreira Lopes | José Manuel Teixeira da Silva Fotografia: João Paulo Coutinho

Ao encontro de Fernando Guimarães

/ 957 leituras
Entrevista: Paulo Moreira Lopes | José Manuel Teixeira da Silva Fotografia: João Paulo Coutinho

Ao desafio com Luís Filipe Cunha

/ 1301 leituras
Nunca me deixei levar por sentimentos muito extremos como a revolta, mas também estou longe de encarar a minha cegueira com resignação ou passividade.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Bragança Fernandes (1948)

O seu (José Vieira de Carvalho) maior orgulho era a Maia. A Maia que ele sonhou, que ele conquistou, e que irrompeu das suas fronteiras em direcção ao cume dos Municípios. Viveu pela Maia e pela Maia morreu. 

Rua da Estrada de Arbo

Texto e foto de Álvaro Domingues

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 748 leituras
Chegaremos aos quatrocentos?