Ideias despenteadas (1)

/ 483 leituras
Por Catarina Gomes publicado in http://ideiasdespenteadas.tictail.com/

Humor ao alto (XCVI)

/ 50 leituras
Publicado por Augusto Baptista in azul-canário e in Opus 4, edição da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, outubro de 2014, página 296

Senhor O a surrir

/ 659 leituras
Publicado por PML

Humor ao alto (XCV)

/ 67 leituras
Publicado por Augusto Baptista in azul-canário.

Teo – o cão pastor (398)

/ 68 leituras
Publicado por Lina & Nando

Humor ao alto (XCIV)

/ 78 leituras
Publicado por Augusto Baptista in azul-canário e in Opus 4, edição da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, outubro de 2014, página 235

Teo – o cão pastor (397)

/ 105 leituras
Publicado por Lina & Nando

Humor ao alto (XCIII)

/ 116 leituras
Publicado por Augusto Baptista in azul-canário e in Opus 4, edição da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, outubro de 2014, página 249

Teo – o cão pastor (396)

/ 112 leituras
Publicado por Lina & Nando

Humor ao alto (XCII)

/ 126 leituras
Publicado por Augusto Baptista in azul-canário e in Opus 4, edição da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, outubro de 2014, página 268

Teo – o cão pastor (394)

/ 142 leituras
Publicado por Lina & Nando

Humor ao alto (XCI)

/ 126 leituras
Publicado por Augusto Baptista in azul-canário e in Opus 4, edição da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, outubro de 2014, página 357

Teo – o cão pastor (395)

/ 157 leituras
Publicado por Lina & Nando

Humor ao alto (XC)

/ 119 leituras
Publicado por Augusto Baptista in azul-canário e in Opus 4, edição da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, outubro de 2014, página 361

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Bragança Fernandes (1948)

Nenhum governo ajudou na luta contra as portagens e ainda hoje mantenho a crítica. Na altura chamava-os de pórticos cor-de-rosa. Não tivemos o mesmo tratamento que outros municípios. Fomos mal tratados.

Rua da Estrada do Mercado da Arte

APESAR de ser acrílico sobre tela, a arte das valetas pode não ser o género mais apreciado nos meios críticos e comerciais do campo da arte. Ainda que muitos se lembrem que em Paris, nas margens do distintíssimo rio Sena, desde há muito que havia muita arte e artista de rua e de domingo que podia passar para os salões da arte das altas culturas, a verdade é que a N15 não passa em Paris. É pena. Têm mais sorte os rabiscos nas paredes a que chamam graffitis, mesmo que lhes falhe completamente a estética e a política; a primeira, de tão vulgares e desinteressantes que são; a segunda, por lhe f...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 428 leituras
Quem petisca vai na isca ou prefere patanisca?