Rua da Estrada das terras viciosas

/ 556 leituras
NOS idos de 1723, Bernard Mandeville escrevia a sua Fábula das Abelhas, ou de como os vícios privados se podiam transformar em públicas virtudes, chegando a questionar como é que uma nação p...

Rua da Estrada de tudo que aparece

/ 636 leituras
“TEM-se empregado a photographia para representar tudo o que existe sob o sol que nos ilumina (…): ela é maravilhosa na traducção dos aspectos da terra, do mar e do ceu; ella propaga as obra...

Rua da Estrada dos Hipermóveis

/ 640 leituras
FOI Helen Gurley, editora da Cosmopolitan nos anos 60, que, em plena contramão com a sociedade puritana da América, criou o lema “as boas raparigas vão para o céu, as más vão para todo o lad...

Rua da Estrada do cada um por si

/ 988 leituras
O PRINCÍPIO ideológico que regula a selva global do capitalismo está a reduzir a fanicos o pouco do solidário que a sociedade tinha: cada um por si, portanto. Não há contos de crianças. Há f...

Rua da Estrada dos tempos que correm

/ 610 leituras
NÃO ao rouvo" é uma expressão de correctíssima grafia segundo isso a que chamam o acordo ortográfico, que preconiza, entre outras coisas, que as palavras se devem escrever tal como são pronu...

Rua da Estrada da Vacaria

/ 625 leituras
SE PERGUNTAREM o que é paisagem, pode-se responder que é o que resulta da paisagificação de uma determinada actividade ou actividades. Esta é uma paisagem bovina. Pela berma da estrada vai u...

Rua da Estrada Selvagem

/ 865 leituras
(…) Get your motor runnin' Head out on the highway Looking for adventure In whatever comes our way Yeah, darlin' Gonna make it happen Take the world in a love embrace Fire all of...

Rua da Estrada de Luanda

/ 1099 leituras
NÃO é só Luanda que está caótica. Caótico está o próprio conceito de cidade na versão habitual de andar por casa pensando que as cidades são os centros históricos da velha Europa, uns prédio...

Rua da Estrada do Natal (1)

/ 835 leituras
APESAR do muito arvoredo que aparece nas bermas da Rua da Estrada, a verdadeira Árvore de Natal deste universo rolante é uma versão vulcanizada e transformada derivada da árvore da borracha,...

Rua da Estrada do Paraíso

/ 1083 leituras
PARA os que pensam que a Rua da Estrada é um inferno, lhes diria que é o seu contrário e que não é difícil provar tal facto de tão visível e argumentada que está a existência do paraíso, dec...

Rua da Estrada do Brasil

/ 807 leituras
A RUA da Estrada do Brasil é hiper-realista. Aquilo que noutro lugar seria apenas uma mínima manifestação de qualquer coisa apenas esboçada, toma aqui um visual transbordante como nos ambien...

Casa de sonho

/ 947 leituras
DIZIA um velho ditado que “quem fez a casa na praça / a muito se arriscou / para uns, pequena de mais / para outros, de alta passou”. Fazer a casa na praça significa expor ao julgamento públ...

Edifício-montra

/ 674 leituras
A LUZ e a transparência são extraordinárias artilharias de produção de visibilidade. Por mil e uma noites, a mega-cristaleira é uma aparição, a caverna do Ali-Babá repleta de tesouros. A cen...

Café Canastro

/ 760 leituras
OS CANASTROS são estas casas esguias e arejadas onde se guardavam as espigas e se defendiam da humidade e dos ratos. Quando veio das américas, o milho provocou uma verdadeira revolução nos c...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Eduardo Vítor Rodrigues (1971)

SÃO declarações indignas de uma pessoa que ocupa o lugar que ele ocupa. Vamos defender o nome do município em tribunal. A única forma de desmentir este tipo de coisas é com papéis. O presidente do ACP não tem estatuto para difamar (…). Mas mais do que a questão da difamação, quero repor a verdade.

Rua da Estrada das terras viciosas

NOS idos de 1723, Bernard Mandeville escrevia a sua Fábula das Abelhas, ou de como os vícios privados se podiam transformar em públicas virtudes, chegando a questionar como é que uma nação poderia ser próspera e gloriosa se apenas fosse bondosa e atinada. No Século das Luzes, luminárias tão diversas como David Hume, Jeremy Bentham ou Adam Smith, embrulharam-se nestes meandros sobre o luxo, a moral, os bons e os maus costumes, ou a riqueza das nações. Completando o ramalhete, o Marques de Sade trataria do assunto da forma mais radical, com e sem a dança do varão aqui pintada, cerveja ou martini...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 408 leituras
A laranjeira dá as laranjas, a bananeira dá as bananas, a figueira dá as figas?