Luís Mourão (1960-2019)

/ 150 leituras
QUANDO nos damos conta, é sempre demasiado tarde. Adiamos a carta, a mensagem, o telefonema, o encontro, hoje, amanhã, depois de amanhã, uma e outra vez. Por pudor, por incúria, por preg...

Aureliano Veloso (1924 – 2019)

/ 113 leituras
AURELIANO Capelo Veloso, filho de Manuel Pires Veloso e de Piedade Capelo Cardoso, professores do Ensino Básico, nasceu na freguesia de Folgosinho, em Gouveia, a 25 de fevereiro de 1924 e fa...

Agustina Bessa-Luis (1922-2019)

/ 136 leituras
A ESCRITORA Agustina Bessa-Luís morreu domingo, no Porto. Estava doente há mais de uma década, na sequência de um AVC, que a retirou da vida pública. O corpo vai estar em câmara ardente a p...

Maria Alberta Menéres (1930-2019)

/ 200 leituras
MORREU esta segunda-feira a escritora e antiga jornalista, Maria Alberta Menéres, aos 88 anos. Natural de Vila Nova de Gaia, Maria Alberta Menéres é autora de uma vasta obra poética. O an...

Homenagem ao professor Adão Campos (1964-2016) no Dia Mundial da Poesia

/ 4500 leituras
NASCI em Rebordosa (Paredes) e fui viver para Valongo com poucos meses de idade. Só ia a Rebordosa nas férias da escola. Até à adolescência era o paraíso na terra. O Adão Campos (1964-2016) também era natural de lá, onde sempre viveu até ser adulto.

Frei Bernardo Domingues (1931-2019)

/ 232 leituras
Frei Bernardo Domingues, da Ordem dos Pregadores (Dominicanos) faleceu esta sexta-feira, no Porto, com 87 anos. O corpo estará a partir das 15h00 desta sexta-feira na Igreja Paroquial de ...

José Queirós (1951-2019)

/ 144 leituras
MORREU José Queirós, um dos fundadores do Público e provedor dos leitores no jornal. Tinha 67 anos. O jornalista não resistiu a um cancro na noite de quinta para sexta-feira. A carreira d...

Raimundo Delgado (1951-2019)

/ 197 leituras
RAIMUNDO Moreno Delgado, antigo Diretor e Professor Catedrático Aposentado do Departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), faleceu esta quinta...

In memoriam 2018

/ 205 leituras
NO ANO 2018 deixaram-nos, entre outros: José Amorim; Joaquim Sarmento; Antero de Alda; Rui Osório; Albano Martins; Fernando Guedes; Amândio Secca; Altino do Tojal; João Semedo; António Alves...

Fernando Aroso (1921-2018)

/ 262 leituras
O FOTÓGRAFO Fernando Aroso, de 97 anos, morreu na segunda-feira (01-10-2018) à noite num hospital do Porto, disse esta terça-feira à agência Lusa fonte do Teatro Experimental do Porto (TEP),...

Fernando Fernandes (1934-2018)

/ 250 leituras
CHAMARAM-LHE “o Sr. Livro”, “o poeta do livro”, e Agustina Bessa-Luís considerou-o mesmo "o maior dos livreiros de Portugal”. Mário Cláudio não tem dúvidas de que ele foi “o último grande li...

Nuno Silva (1977-2018)

/ 378 leituras
MORREU, na madrugada desta terça-feira, o nosso camarada Nuno Silva, jornalista da secção da Justiça, onde trabalhava há cerca de uma década. Nuno Silva, de 41 anos, entrou para o Jorna...

Francisco Barata Fernandes (1950-2018)

/ 359 leituras
O ARQUITETO Francisco Barata Fernandes, responsável pela reabilitação da praça da Cadeia da Relação, no Porto, morreu na quinta-feira, aos 67 anos, vítima de doença súbita, revelou, esta sex...

António Alves Vieira (1987-2018)

/ 392 leituras
ATOR de profissão, António era ativista LGBTI, impulsionador da Marcha do Orgulho LGBT do Porto e militante da luta pelos direitos laborais dos artistas do espetáculo e por uma outra polític...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Bragança Fernandes (1948)

Nenhum governo ajudou na luta contra as portagens e ainda hoje mantenho a crítica. Na altura chamava-os de pórticos cor-de-rosa. Não tivemos o mesmo tratamento que outros municípios. Fomos mal tratados.

Rua da Estrada do Mercado da Arte

APESAR de ser acrílico sobre tela, a arte das valetas pode não ser o género mais apreciado nos meios críticos e comerciais do campo da arte. Ainda que muitos se lembrem que em Paris, nas margens do distintíssimo rio Sena, desde há muito que havia muita arte e artista de rua e de domingo que podia passar para os salões da arte das altas culturas, a verdade é que a N15 não passa em Paris. É pena. Têm mais sorte os rabiscos nas paredes a que chamam graffitis, mesmo que lhes falhe completamente a estética e a política; a primeira, de tão vulgares e desinteressantes que são; a segunda, por lhe f...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 430 leituras
Quem petisca vai na isca ou prefere patanisca?