Ervivo

/ 802 leituras
Herdeiro universal da natureza. Seguiu a linha mais pura dos...

Seiva

/ 817 leituras
Íntima ternura água florida. Texto de Francisco Duarte M...

Terra

/ 996 leituras
Por quantas raízes se tece o íntimo da terra? Texto de Fr...

Semente

/ 954 leituras
Será a chuva a semente dos rios? Texto de Francisco Duart...

Vegetal

/ 1049 leituras
Homem de coração de seiva, sonha ser primavera. Texto de ...

Prado

/ 999 leituras
Que animais ao cair do dia pastam a verde palavra na imen...

Nabiça

/ 1084 leituras
Mulher solteira. Nunca achou nabo elegante capaz de a sedu...

Manjerico

/ 2193 leituras
Luminoso nome, cheira a madrugada. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Alecrim

/ 1864 leituras
O paraíso das joaninhas é, assim, aromático. Texto de Fra...

Cerejeira

/ 1628 leituras
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Maio

/ 1430 leituras
A paixão das rãs incendeia a tarde. Texto de Francisc...

Alfazema

/ 1318 leituras
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Jasmim

/ 1006 leituras
Pronome pessoal bem cheiroso. Texto de Francisco Duar...

Primavera

/ 1619 leituras
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro

Nuvem

/ 1436 leituras
Comovido querubim não sabe conter a tristeza Texto de Fr...