Cerejeira

/ 714 leituras
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Cerejas

/ 545 leituras
Por Maria Alice Correia, natural do Porto. Exerceu funções na Segurança Social e, atualmente, frequenta a Universidade Sénior do Porto - Agitar.

Maio

/ 480 leituras

Abril

/ 51 leituras
Por Maria Mónica

Ideias despenteadas (19)

/ 8 leituras
– Celebramos o dia em que nos deixaram soltar as ideias. (calendário: abril) Por Catarina Gomes (1983, Águas Santas, Maia), designer de comunicação e ilustradora freelancer, publicado in ...

Hornero por Marité

/ 435 leituras
Hornero: pequeno pássaro que vive na América do Sul. Fabrica o ninho com lama entre abril e junho. É a representação da família que trabalha em conjunto. Ilustração de Maria Victoria Rami...

Cravo

/ 2613 leituras
Em que cor pensas quando digo cravo? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro

Malmequer

/ 405 leituras
Por Josita Oliveira, natural de V. N. de Famalicão, nasceu em 1949. Exerceu a profissão de contabilista. Reside no Porto.

Março

/ 91 leituras
Por Maria Mónica

Ideias despenteadas (18)

/ 89 leituras
– Gosto de dar inspiração às  minhas ideias. (calendário: março) Por Catarina Gomes (1983, Águas Santas, Maia), designer de comunicação e ilustradora freelancer, publicado in http://ideia...

Primavera

/ 509 leituras
a primavera é uma enxurrada de verdura  pelos campos Por Francisco Duarte Mangas, in Diário de Link

Andorinha

/ 126 leituras
Por Maria Tereza que vive em Lisboa, Portugal.

Ceiba speciosa

/ 441 leituras
Ceiba speciosa, também designada por palo borraco (pau bêbado) é originário da Amércia do Sul e floresce em março.

Tulipas

/ 725 leituras
Por Ana Luzia, natural do Porto. Professora reformada. Frequenta a Universidade Sénior do Porto – Agitar.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Eduardo Vítor Rodrigues (1971)

SÃO declarações indignas de uma pessoa que ocupa o lugar que ele ocupa. Vamos defender o nome do município em tribunal. A única forma de desmentir este tipo de coisas é com papéis. O presidente do ACP não tem estatuto para difamar (…). Mas mais do que a questão da difamação, quero repor a verdade.

Rua da Estrada das terras viciosas

NOS idos de 1723, Bernard Mandeville escrevia a sua Fábula das Abelhas, ou de como os vícios privados se podiam transformar em públicas virtudes, chegando a questionar como é que uma nação poderia ser próspera e gloriosa se apenas fosse bondosa e atinada. No Século das Luzes, luminárias tão diversas como David Hume, Jeremy Bentham ou Adam Smith, embrulharam-se nestes meandros sobre o luxo, a moral, os bons e os maus costumes, ou a riqueza das nações. Completando o ramalhete, o Marques de Sade trataria do assunto da forma mais radical, com e sem a dança do varão aqui pintada, cerveja ou martini...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 408 leituras
A laranjeira dá as laranjas, a bananeira dá as bananas, a figueira dá as figas?