Rio Vez

/ 117 leituras
No seu tempo as mãos despejam as linhas e os dedos no braço bravo que se estira até ao desbaste do ombro no Lima. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Rib...

Vila Flor

/ 159 leituras
Ponto de vista da cor, da cor do aroma. Cálice vegetal na deriva da pétala, planta de pátio, povoação rizoma.

Rio Ave

/ 165 leituras
Também voa nas nuvens, na eterna transumância de retorno às nascentes, aos ventres da cabreira. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da ...

Chão de Vento

/ 200 leituras
Rés invisível do piso movediço, onde se fixam as palavras mais sólidas como grutas no pavimento varrido. (Ou dual guia no terreno do sopro, do bafo, na tangência dos sentidos). ...

Silva Escura

/ 199 leituras
Exemplo da persistência da raiz e da seiva nos talos curvos: explicação das amoras e acúleos. Estranha representação dos amores, madrigueira viva dos nocturnos. SOBRE O AUTOR: Ó...

Sortes

/ 211 leituras
Algum chão que nos toca como herança. (E a vida dá-nos o tempo que nos mata). SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por ora vive em Pa...

Aver-o-mar

/ 271 leituras
Como olho de peixe a observar do fundo, um bater de pálpebra com espuma em avanços de revolução a salgar o mundo. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeir...

Seara Velha

/ 371 leituras
Este ano não fizeram a terra de pão, há muitos anos que não fazem a terra de pão, está em pousio há muitos anos, há muitos anos que não é ferida de foice, porque há muitos anos que não f...

Tropeço

/ 211 leituras
Banco sem mal, baixo, equilibrado em pés mínimos e sem estorvo. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por ora vive em Paredes. Com...

Serra da Cabreira

/ 245 leituras
Guardadora de montanhas e rebanhos, ventre de penedos, rios e outras aves. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por ora vive em Pare...

Óis da Ribeira

/ 267 leituras
Balir aberto das vogais nos bardos antigos das palavras plurais com odor a água. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por ora viv...

Ninho do Açor

/ 243 leituras
Mistério das aves altas que pairam. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por ora vive em Paredes. Com formação inicial em arquitetura...

Água Longa

/ 322 leituras
De que perdimento o veio vem, que longe o sustém e que tempo tem o fim uma pena de água corrente? SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega...

Entre-os-Rios

/ 337 leituras
Numa espécie de península, escoa a quase quieta incorporação: as águas de regresso à água. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Manuel Pizarro (1964)

ACHO que a atitude do ministro da Saúde é de lamentável leviandade. O senhor ministro começou por anunciar que o Infarmed vinha para o Porto, depois anunciou que se ia criar um grupo de trabalho para estudar as questões técnicas associadas a esta deslocalização e, finalmente, desautoriza a sua própria decisão e as recomendações do grupo de trabalho.

Histórias do início do mundo

EM tempos muito remotos, os humanos vagueavam em grupos mais ou menos organizados, caçando e comendo do que havia. Não tinham ainda descoberto como domesticar animais e cultivar plantas; não produziam excedentes e não havia cidades. Um dia, do alto de uma colina um chefe de um desses grupos viu ao longe uma nuvem de pó que avançava e pensou: se matarmos aqueles, toda a caça e mantimentos que eles possuem será um excedente para nós. Assim fizeram e continuaram na colina exercitando armas. Quando avistaram outro grupo, pensaram melhor: matamos a maior parte e escravizamos os mais fortes para fic...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 767 leituras
Ricardo, salgado?