Rui Manuel Amaral (1973)

/ 1451 leituras
Aquelas pessoas que escrevem um nome, uma frase, uma declaração de amor no cimento ainda fresco. Qualquer coisa que perdurará anos, décadas, até à próxima campanha de obras públicas ou até à...

Hélder Magalhães (1982)

/ 37 leituras
Osteossarcoma. Ouvi este palavrão há pouco mais de vinte anos - na altura, até o vocábulo cancro o era. Levou-me até ao tutano, acabei por lhe dar o osso. Fiquei com a vida. →

Regina Gouveia (1945)

/ 795 leituras
Há já vários anos que, no verão, passamos cerca de 40 dias em Trás-os-Montes, distribuídos pela aldeia do meu marido (no concelho de Moncorvo) e pela minha (no concelho de Alfândega da Fé). ...

Zilda Cardoso

/ 2790 leituras
Vivi muito pouco tempo na rua do Almada, no Porto, ou dos Almadas, como eu gostaria de lhe chamar. Foi há muitos anos e nunca tinha lá voltado. Fui visitá-la ontem. Dizem que é uma rua cheia...

Helder Pacheco (1937)

/ 1721 leituras
No Largo do Moinho de Vento, o Snr. António Farinheiro afixou na rede do estabelecimento: «Fechou a loja de cereais mais antiga da cidade do Porto». Segundo o Público (7.6.19) tinha 66 anos....

Alexandra Malheiro (1972)

/ 943 leituras
"Hoje o dia não acordou solarengo em boa parte do nosso País" - escreve-me o Sr. Martim Silva, diz aqui que é director adjunto do Expresso, que eu ainda tenho a veleidade de assinar e, por e...

Pedro Guilherme-Moreira (1969)

/ 1298 leituras
Festejar o aniversário com Proust no Père Lachaise - porque ambos o temos a 10 de Julho - foi sempre um sonho de rapaz. Concretizei-o aos 50. A única pergunta que fiz foi se eu gostava de te...

Vanessa Rodrigues (1981)

/ 1293 leituras
O Bairro dos Livros foi a primeira casa que me acolheu no percurso literário, em 2013. A Minês, a Catarina e a Isabel tiveram a generosidade de me chamar um dia para dizer que queriam public...

Gracinda Ramos

/ 1519 leituras
Qualquer momento pode ser tempo de passear, mesmo quando se anda perto de casa, se vai trabalhar ou se vai à oficina com a moto. E não muito longe da oficina da minha moto fica Lousado e a s...

Manuel Vitorino

/ 1640 leituras
as ruas do meu país este foi o cartaz mais bonito e criativo que alguma vez foi fixado nas paredes. Foi pintado pela Maria Helena Vieira da Silva e há 45 anos todos os sonhos foram possíveis...

José Rui Teixeira (1974)

/ 780 leituras
Hoje, no Jornal de Letras, excerto do artigo do António Carlos Cortez : Se José Rui Teixeira, no livro "Autópsia", poesia reunida, nos dá a ver uma voz que oscila entre a meditação sobre o a...

Sandra Nobre (1972)

/ 1728 leituras
Já disse adeus à capital iraniana, uma cidade desafiante que adorei apresentar aos viajantes que vieram este ano comigo. Aqui vivi também a alegria de reencontrar amigos e fazer amigos novos...

José António Gomes (1957)

/ 2083 leituras
Entre nós, Abril é o mês do livro. A 2 comemorou-se o Dia Internacional do Livro Infantil, a 23 o Dia Mundial do Livro, e em bibliotecas públicas e escolas são frequentes as actividades rela...

Paulo Ferreira da Cunha (1959)

/ 501 leituras
Que a truculência e a baixeza dos adversários, e mesmo dos inimigos, não impeça nunca de ser objetivo e justo no julgamento dos próximos, dos afins, dos se pensa partilharem os mesmos ideais...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Moreira (1956)

Se houver cuidado e proteção está-se a contribuir para uma concorrência leal. Os bons empresários estão interessados neste acordo porque a concorrência mais desleal é aquela que descuida a segurança e a proteção dos trabalhadores.

Rua da Estrada de Atenas

ANDAVAM os antepassados da Angela Merkel nas cavernas por entre ursos e outras barbaridades, quando Péricles edificava Atenas antes das guerras do Peloponeso.  Era assim o mundo, aos encontrões, como sempre. Depois de edificar a Acrópole verificou-se que custava muito lá subir e muito ventosa. De íngreme que era e de caminhos mal empedrados, as quadrigas patinavam e viravam-se de rodas e pernas para cima. Então, depois de muitos séculos prodigiosos, conseguiu-se finalmente domesticar os cavalos de uma maneira diferente de modo a que coubessem às dezenas e às centenas nos motores dos automóv...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 444 leituras
Quando há problema, mais difícil é resolver o prob ou o lema?