Rui Rio (1957)

/ 1422 leituras
Ich weiss nicht, was sie sagen" ("Não sei do que falam").

Eduardo Vítor Rodrigues (1971)

/ 1650 leituras
RUI Moreira é um autarca de referência em Portugal. Tem feito um trabalho que me parece muito positivo e parece-me óbvio que quer enquanto presidente da câmara de Gaia, vizinha do Porto, que...

Manuel Pizarro (1964)

/ 1744 leituras
ACHO que a atitude do ministro da Saúde é de lamentável leviandade. O senhor ministro começou por anunciar que o Infarmed vinha para o Porto, depois anunciou que se ia criar um grupo de trab...

Rui Moreira (1956)

/ 1801 leituras
NÃO escondo que me desgosta que o país não tenha mais meios do que aqueles que aloca ao combate a este flagelo . Desgosta-me, posso protestar indignado, mas não pode a câmara fazer nada mais...

Jorge Nuno Pinto da Costa (1937)

/ 1414 leituras
VOCÊS foram um motivo de orgulho de todos os portugueses, mas será fácil de compreender que para nós ainda mais. Para além dos parabéns, quero dizer-vos que todos nós temos muito orgulho no ...

Marco Martins (1978)

/ 402 leituras
5. ESTA é mais uma prova da clara intromissão do TdC da autonomia do poder local. Sentimento de desilusão e frustração de quem muito se esforçou para fazer o melhor negócio para o município,...

Bragança Fernandes (1948)

/ 1434 leituras
17. O António Costa neste momento está a acender uma vela para que Rio ganhe. → 16. EU gostava de ganhar as 18 câmaras municipais e é por isso que estamos a lutar. (…) Se não ganharm...

Guilherme Pinto (1959-2017)

/ 544 leituras
VAMOS fazer uma revolução viária que espero que venha acabar com boa parte dos constrangimentos de quem passa na A28 porque, todos os dias, há enormes filas de trânsito. → Ilustração de M...

Apresentação

/ 529 leituras
TENDO como inspiração O INIMIGO PÚBLICO decidimos realçar (com link) citações em discurso direto, cujo sentido e alcance para o seu autor supõe-se serem inequívocos (exceto no caso de reserv...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Rio (1957)

Ich weiss nicht, was sie sagen" ("Não sei do que falam").

Rota das Pirâmides

O EXÓTICO é um desejo; uma máquina de sedução; um domínio geo-semântico que designa um território imenso e quente, desconfinado, longínquo e incerto onde existem coisas estereotipadas, espécie de adereços e ambiências como o cheiro das especiarias, as trovoadas tropicais, as araras, as odaliscas, as palmeiras, os batuques, os camelos, e as pirâmides, por exemplo. O exotismo alimenta-se da nostalgia, do espaço e do tempo, como memória de uma idade de ouro em paragens remotas e tempos perdidos. Depois de Napoleão ter regressado a França após a Batalha das Pirâmides e se terem difundido as his...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 611 leituras
O telemóvel é um meio de incomunicação?