Cidreira

/ 310 leituras
A erva dos aflitos. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro

Olhos

/ 357 leituras
1. e aprimorando a bolina dos olhos arrancavam da pobreza os sargaços de medo Por João Rios, in Aprendizagem Balnear, Cadernos do Grito, página Infantes. 2. e o moço o Nél, de olho...

Viajar

/ 306 leituras
viajar é quase sempre partir para ficar Por João Manuel Ribeiro in Amo-te poemas para gritar ao coração, Trinta por uma linha, 2010, página 2.

Limão

/ 408 leituras
Tem irmã, bem mais divertida. Ele é um cavalheiro amargo. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro

Ancinho

/ 317 leituras
Utensílio de pentear a terra. Serve também para juntar folhas e outras palavras mortas. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro

Cajado

/ 312 leituras
ignoro como pode o cajado parir passos e simultaneamente apascentar cordeiros Por João Manuel Ribeiro in A circulação precoce dos relâmpagos, Cosmorama Edições, 2007, página 47.

Nuvem

/ 360 leituras
1. Alma andarilha das águas. Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 62. 2. Comovido querubim não sabe conter a tris...

A-Ver-O-Sol

/ 410 leituras
Nome de localidade cujos habitantes se dedicam à apanha de raios solares para secarem periodicamente os seus sonhos pantanosos. Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Brevi...

Semente

/ 257 leituras
1. Será a chuva a semente dos rios? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. 2. A semente está poisada no lugar de padecer Por Daniel Faria, in Poesia, Ex...

Paveia

/ 315 leituras
Paveia a paveia apascento-me Da terra - Palavra a palavra Por Daniel Faria, in Poesia, Explicações das árvores e de outros animais, Edições Quasi, 1.ª edição, Novembro de 2003, página 2...

Trovão

/ 293 leituras
O trovão ilumina A vigília Por Daniel Faria, in Poesia, Explicações das árvores e de outros animais, Edições Quasi, 1.ª edição, Novembro de 2003, página 274.

Abelha

/ 291 leituras
A abelha também morre de deixar De corola em corola a raiz Por Daniel Faria, in Poesia, Explicações das árvores e de outros animais, Edições Quasi, 1.ª edição, Novembro de 2003, página 2...

Cigarra

/ 292 leituras
Amei a vida Como se fora um castigo Cantei-a Como se fora um feitiço Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página 367.

Agosto

/ 305 leituras
Nome do mês em que o Inverno chove na alegria dos copos. Por João Pedro Mésseder, in Elucidário de Youkali seguido de Ordem Alfabética, Editorial Caminho, janeiro de 2006, página 14.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Moreira (1956)

Se houver cuidado e proteção está-se a contribuir para uma concorrência leal. Os bons empresários estão interessados neste acordo porque a concorrência mais desleal é aquela que descuida a segurança e a proteção dos trabalhadores.

Rua da Estrada de Atenas

ANDAVAM os antepassados da Angela Merkel nas cavernas por entre ursos e outras barbaridades, quando Péricles edificava Atenas antes das guerras do Peloponeso.  Era assim o mundo, aos encontrões, como sempre. Depois de edificar a Acrópole verificou-se que custava muito lá subir e muito ventosa. De íngreme que era e de caminhos mal empedrados, as quadrigas patinavam e viravam-se de rodas e pernas para cima. Então, depois de muitos séculos prodigiosos, conseguiu-se finalmente domesticar os cavalos de uma maneira diferente de modo a que coubessem às dezenas e às centenas nos motores dos automóv...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 444 leituras
Quando há problema, mais difícil é resolver o prob ou o lema?