O amor e um edifício

/ 1373 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Setembro

/ 1741 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Aprender a ser árvore

/ 976 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

As cidades desmedidas

/ 978 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Realidades alternativas

/ 1282 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Uma desculpa para escrever

/ 1050 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Fantasmas e nevoeiro

/ 1358 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Idílio

/ 1178 leituras
NO meu sonho, o Palácio de Cristal e os seus minuciosos jardins configuravam uma nação prodigiosa.

Pornografia

/ 1303 leituras
Custa a acreditar numa civilização que nega a sua própria arte, encobre a sua natureza e reprova os seus instintos.

O vaticínio

/ 1194 leituras
Na Praça da Ribeira uma nesga de luz ainda dança na estranha juventude de Fevereiro, há vozes que cintilam sob a pele oleosa das antigas mercadorias, rostos do passado que recrudescem.

A noite e as suas representações

/ 1193 leituras
A experiência diz-me, no entanto, que o melhor noctívago é aquele que, por muito que ande, regressa sempre ao lugar onde a sua própria vida lhe aparece no centro das suas investigações.

A rua de todos os sentidos

/ 1579 leituras
Quando cheguei a meio da ponte compreendi “todo o sentido das coisas” e “a solução de todos os enigmas”, de que falava Bernardo Soares no Livro. A julgar pelas elegantes e prateadas grades de ferro, eu devia estar na Rua da Prata.

Quando a cidade se liquefaz

/ 1457 leituras
Só na noite do monólogo irrompe o diálogo.

Tentativa de esgotar um lugar portuense

/ 1380 leituras
ESTOU sentado numa esplanada da Praça da Liberdade e recordo...

O pintor da vida moderna

/ 2042 leituras
Ali estava a cidade por vir. A cidade irrepresentável e hostil que o artista se obstinava em fazer nascer.