O pintor da vida moderna

/ 1853 leituras
Ali estava a cidade por vir. A cidade irrepresentável e hostil que o artista se obstinava em fazer nascer.

Submundo

/ 1605 leituras
QUANDO me aborreço da cidade superficial, corro para a estação de metro mais próxima. Gosto de sentir na pele o que Jean Valjean, o miserável herói de Victor Hugo, sentiu quando desceu aos e...

Setembro

/ 1535 leituras
SETEMBRO é o mês mais cruel. O Outono promete apagar tudo o que o Verão acendeu. Não conheço dialéctica ou didáctica mais triste. Lembro o belíssimo verso de Carl Sandburg, a propósito do se...

A rua de todos os sentidos

/ 1463 leituras
Quando cheguei a meio da ponte compreendi “todo o sentido das coisas” e “a solução de todos os enigmas”, de que falava Bernardo Soares no Livro. A julgar pelas elegantes e prateadas grades de ferro, eu devia estar na Rua da Prata.

Uma obscura lucidez no rosto

/ 1433 leituras
À MEDIDA que o Verão se apaga, o Porto recupera uma obscura lucidez no rosto. De resto, já não tenho grandes expectativas em relação à rentrée. Sou um leitor caprichoso, intransigente, e per...

Quando a cidade se liquefaz

/ 1314 leituras
Só na noite do monólogo irrompe o diálogo.

O amor e um edifício

/ 1260 leituras
ESTOU a amar um edifício. É o edifício com mais requinte e carácter que a cidade tem. Fica na Rua dos Bragas, uma rua demasiado severa e estreita. Além disso, aquela é uma rua triste, tão tr...

O Verão dos poetas

/ 1259 leituras
JULHO. Os dias são velozes e esplêndidos. O sol está mais próximo da Terra. Há uma espécie de opulência em tudo o que vejo, toco e sinto. Pergunto-me: por que é que Platão expulsou os poetas...

Tentativa de esgotar um lugar portuense

/ 1251 leituras
ESTOU sentado numa esplanada da Praça da Liberdade e recordo a homenagem excessiva que um célebre escritor francês, Georges Perec, prestou um dia à vida moderna e à sua irremissível monotoni...

De passagem pela Corunha

/ 1213 leituras
NO mês passado, tive a felicidade de apresentar o meu livro, “Dramas de Companhia”, em Espanha. Recebi o convite de Inma Doval, artista plástica galega, bibliotecária na Faculdade de Educaçã...

Das pessoas que nos fazem gente

/ 1150 leituras
Para o Manuel António Pina CONHECI o poeta em 2003. Estava a terminar a minha licenciatura e ele foi uma das fontes a que recorri para humanizar o território (na altura, como agora, tão ali...

O jardim das virtudes

/ 1145 leituras
SOU um Walt Whitman frustrado, no Jardim das Virtudes, a tentar escrever um poema no céu. São as nuvens que se movem como palavras demasiado livres para se deixarem fixar num só contexto. O ...

Fantasmas e nevoeiro

/ 1123 leituras
O POETA Federico García Lorca acreditava que durante a prática ritual do flamenco um “encanto misterioso e inefável” subitamente se desprendia. A esse espectro deu o nome de duende. Sinto...

Imagens do Inverno

/ 1116 leituras
CHEGOU o Inverno, ou melhor, chegaram as imagens do Inverno, a superfície gelada de um lago, uma montanha, ao fundo, ostentando uma espécie de candura avassaladora, o vidro de uma janela fus...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Moreira (1956)

Há um projecto de lei que diz querer introduzir alterações cirúrgicas à lei orgânica de 14 de Agosto. Sabe o que é a cirurgia? É impedir que o nosso movimento se candidate como se candidatou nas últimas eleições. Diga ao dr. Rui Rio que ganharemos as eleições ao PSD com o nome linha azul e verde.

Rua da Estrada da Surpresa

Agora que esta vidraria aqui se instalou ainda nova e por estrear, é que a vivenda é mesmo surpresa.

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 390 leituras
Onde foi o pintainho buscar o engenho de picar o ovo?