Retrato de Sevilha

/ 973 leituras
HÁ um magnífico poema de e.e. cummings que começa com um ind...

Variações sobre Novembro

/ 1686 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Das pessoas que nos fazem gente

/ 1939 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

As cidades desmedidas

/ 1496 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Da escuridão dos teatros

/ 1095 leituras
RECORDO, com prazer, a terrível escuridão dos teatros. Antes...

Clichés e Profecias

/ 1427 leituras
HÁ uma canção de David Sylvian que diz tudo: September. Gost...

Rua da Alegria

/ 1443 leituras
SEMPRE me intrigou o nome daquela rua, a facilidade com que ...

De passagem pela Corunha

/ 2224 leituras
NO mês passado, tive a felicidade de apresentar o meu livro,...

Dramas de companhia de André Domingues

/ 1297 leituras
AS trágicas encenações da existência. Um homem que vive pris...

O Verão dos poetas

/ 1719 leituras
JULHO. Os dias são velozes e esplêndidos. O sol está mais pr...

Aprender a ser árvore

/ 1511 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Imagens do Inverno

/ 2143 leituras
Texto de André Domingues e foto de João Paulo Coutinho

Quando a cidade se liquefaz

/ 1896 leituras
Só na noite do monólogo irrompe o diálogo.

A rua de todos os sentidos

/ 1979 leituras
Quando cheguei a meio da ponte compreendi “todo o sentido das coisas” e “a solução de todos os enigmas”, de que falava Bernardo Soares no Livro. A julgar pelas elegantes e prateadas grades de ferro, eu devia estar na Rua da Prata.

O vaticínio

/ 1589 leituras
Na Praça da Ribeira uma nesga de luz ainda dança na estranha juventude de Fevereiro, há vozes que cintilam sob a pele oleosa das antigas mercadorias, rostos do passado que recrudescem.