1095
0
COMPARTILHAR
Inicio Correspondentes Arsénio Mota ...

Arsénio Mota (1930)

Arsénio Mota (1930)

0
1095

Domingo passado, dia 22, estive com a Armanda Passos, ainda convalescente, na Reitoria da UP, onde decorre a exposição-homenagem – 75 pinturas recentes. A iniciativa é da própria Reitoria, que também edita o catálogo, belíssimo! 

Estes dez livros meus estão agora, em novas edições ebook, numa nova plataforma digital – é da Sociedade Portuguesa de Autores. Também são acessíveis no blogue com o meu nome. 

8. Fiz 44 anos no dia escolhido pelas Forças Armadas para nos darem o 25 de Abril. Passei então a aniversariar no feriado nacional – como agradecer tamanha dádiva? Festejamos agora os 44 anos do 25 de Abril e alguém que muito sabe indica-nos ali a capicua, à qual peço licença para agregar esta outra – 88 anos (de idade)… 

7. Congratulado e mesmo desvanecido por tantas expressões de simpatia e de consideração que vos mereci no dia dos meus 87 degraus trepados na escadaria do tempo, estou aqui a interrogar-me. Como agradecer? ?Ajudem-me, pelo menos, a merecer tanta generosidade em gestos cheios de beleza! 

§

6. O meu gato é selvagem. Vive na rua, é um pobre sem-abrigo, sem regaço nem almofada para ronronar numas sonecas. Conhecemo-nos há uns anos e somos amigos, ele lá fora no cantinho abrigado onde apanha sol e eu, aqui à janela, civilizado a imaginar-me também selvagem, a vê-lo. 

§

5. Os leitores que acompanham de algum modo o que tenho vindo a publicar conhecem-me a tineta: parece que fiquei amarrado com juras de amor eterno à Crónica. 

§

4. Pessoas que tenho próximas sustentam que sou organizado, metódico. Repetem-me a opinião como se isso fosse um atributo raro, elogiável como a pontualidade que nos deixa à espera de quem a não tem. 

§

3. Há tempo que andava a desejar ver as mais recentes obras do artista plástico Acácio de Carvalho. É um excelente amigo e companheiro de vária lida, merecedor da nossa melhor atenção, e, no entanto, para mim, a ocasião tardou. Mas aconteceu agora, com os seus “Traços”. 

§

2. Guilherme Camarinha foi, no seu tempo, um homem e um artista algo peculiar. Nasceu em Valadares, Vila Nova de Gaia, em 01-11-1912 (28 de Abril de 1913 no registo civil). 

A noite da consoada é costume antigo que o calendário marca uns dias depois da entrada do solstício de inverno.

§

1. A alma da paisagem 

§

7 perguntas a Arsénio Mota

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here