873
0
COMPARTILHAR
Inicio 7 Perguntas Sete pergunta...

Sete perguntas a J. Paulo Coutinho

Sete perguntas a J. Paulo Coutinho

0
873

J. PAULO Coutinho nasceu e reside no Porto, curiosamente na mesma freguesia, Paranhos, só que nem sempre aqui viveu. As ausências não devem ter sido suficientemente longas ou marcantes pois não conseguiram apagar os valores e a perceção da realidade que se haviam entranhado durante o período em que contactou com a cidade. No que à sua atividade profissional diz respeito, a de repórter fotográfico, o Porto tem uma luz e sombra únicas, um desenho e uma personalidade de formas com as quais se identifica. Fotografá-lo é uma experiência que não o cansa.

Por Paulo Moreira Lopes

1 – Data de nascimento e naturalidade (freguesia e concelho)?

24, Janeiro, 1963, Paranhos, Porto.

2 – Atual residência (freguesia e concelho)?

Paranhos, Porto.

3 – Escolas/Universidade que frequentou no distrito do Porto?

Escola Secundária António Nobre e Centro Formação de Jornalistas.

4 – Habilitações literárias?

12.º ano.

5 – Atividade profissional?

Repórter fotográfico

6 – Em que medida o local onde viveu ou vive influenciou ou influencia o seu trabalho artístico/literário/profissional por referência a fenómenos geográficos (paisagem, rios, montanha, cidade), culturais (linguagem, sotaque, festividades, religião, história) e económicos (meio rural, industrial ou serviços)?

Não vivi sempre no Porto, e numa época bem menos global como a de hoje. A noção ser do Norte, ou do Porto criou valores e uma percepção da realidade que se foi entranhando, nomeadamente em relação a questão dos valores do regionalismo.

Esta cidade, o Porto, é uma comunidade com raízes e razões muito próprias, uma luz única, um desenho e uma personalidade de formas com que me identifico.

Fotografar o Porto é uma experiência que não me cansa e é sempre uma descoberta. O jogo de sombra e luz varia com muita facilidade ao longo do dia, desenhando sempre uma rua diferente durante os dias, nomeadamente nas zonas mais antigas. Por outro lado temos o rio e o mar como uma outra realidade, uma outra luz, na mesma cidade.

Uma outra face é acompanhar a mudança que a cidade, por via da modernidade e da globalização, aí perde uma parte da sua identidade mas é um desafio olhar essa modernidade e vê-la adpatar-se.

7 – Endereço na web/blogosfera para o podermos seguir?

http://www.joaopaulocoutinho.com/
http://joaopaulocoutinho.wordpress.com/
Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here