COMPARTILHAR

Douro

Douro

0
661

1.
Entre as escarpas
do sol,
o dorso
da serpente.

Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 18.

2.
E o rio passa torturado, aflito,
Sulcando sempre o seu perfil nas almas!…

Por Pedro Homem de Mello, in Ao Porto, Colectânea de Poesia sobre o Porto, organização de Adosinda Providência Torgal e Madalena Torgal Ferreira, Publicações Dom Quixote, 2001, página 65.

3.
Desse Douro embravecido,
Entre penhas escondido
Rugindo como o leão.

Por Soares dos Passos, in Ao Porto, Colectânea de Poesia sobre o Porto, organização de Adosinda Providência Torgal e Madalena Torgal Ferreira, Publicações Dom Quixote, 2001, página 239.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here