789
0
COMPARTILHAR
Inicio Poemário Nuno Higino (...

Nuno Higino (1960)

Nuno Higino (1960)

0
789

5.
O médico sem saber por onde começar: se
pelo corpo se pelo pensamento, indeciso
na sua ciência de trevas, as mãos a procurar
na minha penúria alívio para a sua ignorância; 

4.
A alegria a descarnar, febril, a entupir a garganta,
a fazer bater portas
e janelas, a rouquidão das palavras a comprimir 

3.
Um dia cheguei a casa e vi que tinha sombras
espalhadas no corpo,
cogumelos escuros de luar, sem saber se era
veneno o que eu tinha na pele 

2.
Comecei a sentir o corpo muito distante do
pensamento; o relógio do corpo
descompassado com o mundo, o pensamento 

1.
As mães sobem uma escada até ao céu,
sobem e descem a escada longa dos filhos;
as mães olham para cima, firmam as mãos na escada 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here