COMPARTILHAR

Formiga

Formiga

0
1390

1.
Eterna viúva condenada a trabalhos forçados.

Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página 28.

2.

Minuciosa formiga
não tem que se lhe diga:
leva a sua palhinha
asinha, asinha.

Assim devera eu ser
e não esta cigarra
que se põe a cantar
e me deita a perder.

Assim devera eu ser:
de patinhas no chão,
formiguinha ao trabalho
e ao tostão.

Assim devera eu ser
se não fora não querer.

3.

Com a formiga viajei,
Quase de braço dado…

Senhora formiga
É bom que se diga
Que tu és má:

Vais à alma, a pé,
P’ra roubar até
O que lá não há…

Alexandre O’Neill in Poesias completas & dispersos, Assírio & Alvim, março 2017, página 79

Partilha

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here