Artigos na categoria Letra L

1. A Lua,               encantada, dá à luz               a noite. Por César Augusto Romão, in Tanto ar, Propagare, 2009, página 27. 2. L...

1. …esta névoa onde começa a luz de Lisboa, rosa e limão sobre o Tejo, esta luz de água, … Por Eugénio de Andrade, Antologia breve, Editora Lim...

1. e uma luz de neve quebrada de vidraça em vidraça. Por Eugénio de Andrade,  in Ao Porto, Colectânea de Poesia sobre o Porto, organização de Ad...

1. É isto um livro esta espécie de coração (o nosso coração) dizendo "eu" entre nós e nós?   Por Manuel António Pina, in Como se d...

Sacerdotisa da seita de sangue frio. Adora o sol.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Camin...

Só leão de juba atinge o estatuto de jubilado.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho,...

Caracol sem abrigo.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página 36.

1. Quando penso em ti só me lembro dos teus olhos.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial C...

Lobo: acaba de comer o h a este omem.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de...

Tímido insecto este devoto da Natureza.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setemb...

1. Breve é o mar na vida da lágrima que na terra tomba.   Por César Augusto Romão, in Tanto ar, Propagare, 2009, página 4...

A Lua,                iluminada, volta                   a dar nas vistas.   Por César Augusto Romão, in Tanto ar, Propagare, 2009, pági...

lobo é vocábulo com medo de alguém lhe trocar as sílabas   Por Francisco Duarte Mangas, in A fome apátrida das aves, Modo de ler, pág...

Local purificador: o sol liberta-se da clausura da lenha.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editori...

Vai no Batalha

PARA nós, importante é que Gaia passou ao verde. Era um velho objetivo. Gaia esteve durante muitos anos em situação de ilegalidade no cumprimento das metas e do endividamento. Gaia respira melhor e está fora das amarras do endividamento excessivo. Está provado que é possível ter uma cidade digna e de boas contas mas que cresça.

Rua da Estrada

85 Leituras
PARA memória futura antes que a tinta desbote, fica registado que este galo é de Barcelos, das terras de Prado onde se fazia muita telha, louça e figu...

Enigmatógrafo

85 Leituras
Seríamos mais felizes com ouro para todos às mãozadas?