39
0
COMPARTILHAR
Inicio Temporário Poema do reló...

Poema do relógio (Paulo José Borges)

Poema do relógio (Paulo José Borges)

0
39

O tempo passa célere, rápido, voraz, ligeiro.
O tempo quer chegar primeiro.

O tempo é o criminoso letal que trazes contigo.

Cada milénio, cada século, cada ano, cada hora, cada minuto
O tempo tudo arrasa
Infrações de segundo.

Publicado in O meu primeiro livro de poemas, edição de autor, 2017

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here