86
0
COMPARTILHAR
Inicio Do outro mundo Porto visto p...

Porto visto por Ivanilton Tristão Pereira

Porto visto por Ivanilton Tristão Pereira

0
86

IVANILTON Tristão Pereira é carioca de gema. Aprecia escrever poemas, contos e de participar em antologias e concurso de poesia. Para Ivanilton, a cidade do Porto ainda se confunde com o país e com o vinho. Tem a mania dos postais, de os enviar à família e amigos quer esteja ou não em viagem. Diz que é uma forma de se aproximar das pessoas. Acredita que é possível fazer florescer uma literatura de microcontos em postais.

Por Paulo Moreira Lopes

1 – Data de nascimento e naturalidade (freguesia e concelho)?

Nascimento: 10 de outubro de 1956. Natural: Rio de Janeiro. Estado: Rio de Janeiro

2 – Atual residência (freguesia e concelho)?

Residência: Av. Princesa Isabel, 48/1215 – Copacabana, Rio de Janeiro – Brasil. CEP: 22011-040

3 – Em que outros locais viveu de modo permanente?

Sempre no Rio de Janeiro.

4 – Habilitações literárias?

Graduado em Direito.

5 – Atividade profissional?

Funcionário aposentado do Tribunal de Justiça. Aprecio escrever poemas. Contos. Participo de Antologias poéticas e concurso de poesias.

6 – Em que medida o local onde nasceu e viveu ou vive, influenciou ou influencia a sua vida artística?

Rio de Janeiro, cidade maravilhosa me influenciou a escrever. E também o gosto pela leitura.

7 – Quando pensa na cidade do Porto lembra-se imediatamente de quê?

Portugal, vinho.

8 – Já visitou o Porto? Em caso afirmativo, por que motivo e qual a ideia com que ficou da cidade e da região?

Não. Nunca visitei Portugal.

Literatura postal

9 – Tem a mania dos postais? Em caso afirmativo como explica essa apetência por uma literatura tão sucinta e tão efémera?

Gosto e tenho mania de postais. De enviar postais a filhos, parentes e amigos quando estou em viagens. E mesmo quando não. O postal nos deixa mais próximo das pessoas, nos deixa mais íntimos.

10 – Sente mais prazer em comprar, escrever e enviar o postal, em saber que foi recebido por outro ou em receber postais de outros?

O prazer é total. Tanto enviar, quanto receber.

11 – Tendo em conta a popularidade da correspondência postal, será que podemos falar de uma literatura postal, quem sabe como uma derivação dos contos ou microcontos?

Sim. Com os microcontos pode-se sim, fazer florescer uma literatura de microcontos em postais.

12 – Endereço na web/blogosfera para o podermos seguir?

https://www.facebook.com/ivanilton.tristao

http://www.recantodasletras.com.br/autores/fatumby

Os sons por Ivanilton Tristão Pereira para a I Convocatória de Histórias em Postais.

Um longo abraço por Ivanilton Tristão Pereira para a I Convocatória de Histórias em Postais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here