947
0
COMPARTILHAR
Inicio Do Porto Christophe Pe...

Christophe Pedro, treinador do CALE

Christophe Pedro, treinador do CALE

0
947

CHRISTOPHE Pedro é um dos rostos mais emblemáticos do CALE, de Leça da Palmeira. Ao nosso blogue concedeu uma entrevista onde falou da atualidade do clube em que é treinador e uma pessoa que acompanha as equipas do clube de Leça da Palmeira para todo o lado.

O Cale volta a não marcar presença nos play-offs. Quais as razões que aponta para este efeito?

Fizemos uma boa primeira volta, superando todas as expectativas dos mais cépticos que nos tinham condenados e encomendado os bilhetes para a segunda divisão. Atingimos o 6.º lugar, com muito mérito. Depois quebramos, por diversos factores no início da segunda volta e ficamos de fora por um jogo menos conseguido em casa contra o Sport Madeira que perdemos. No jogo decisivo e, depois de várias peripécias na viagem para a Madeira, vencemos o CS Madeira e reentramos na corrida ao play-off.

Ficamos com os mesmos pontos que o 8.º classificado. Pena que tenhamos ficado de fora por causa da diferença de golos nos dois encontros. Mas mesmo assim, fizemos tudo o que estava ao nosso alcance.

Ter garantido o play-off seria um marco importante na vida do clube, visto que seria o 1.º ano que o conseguia. Não conseguimos este ano, vamos tentar na próxima época visto precisarmos apenas de uma vitoria para garantir a manutenção.

A manutenção esta quase garantida? Qual é o significado?

É o significado do dever cumprido. Como disse anteriormente poderíamos já o ter garantido com o play-off. Depois de tudo o que disseram do CALE, depois de saídas importante de atletas nucleares da época passada, acho que respondemos a altura das exigências, lançando novas atletas e alicerçando as bases para um futuro risonho.

Vamos continuar a trabalhar para engrandecer cada vez mais o nome do CALE no panorama do Andebol nacional.

Em juniores qual é o ponto da situação?

Nas juniores estamos neste momento a espera de podermos ser apurados. Perdemos um jogo com o Colégio de Gaia/Valongo do Vouga em que tudo nos correu mal e comprometemos as nossas aspirações por ter perdido por diversos golos de diferença. A partir daí, ganhamos ao Alpendorada e SF Marinha . Estamos à espera de ver o que os nossos adversários directos vão fazer. Sabemos que vai ser complicado, mas estamos confiantes que podemos passar para a próxima fase.

Aproveito para fazer uma crítica construtiva, nomeadamente à calendarização e apuramentos para as próximas fases no escalão de juniores ser feito com apenas três equipas. Provavelmente vai ficar um possível candidato ao titulo nacional de fora por essa situação, penso que deveriam apurar o melhor 3.º classificado para fazerem uma poule de 4 equipas. Penso que seria mais justos para todos.

Como tem sido o comportamento da equipa de juvenis?

Nas juvenis, tivemos uma primeira parte da época muito boa em que lutamos em igualdade com as outras equipas, depois tivemos os azar de 3 atletas nossas se aleijarem(2 roturas de ligamentos e uma operação ao menisco) que condicionou o resto da época, embora saibamos que faz parte de desporto só temos que estar satisfeito pela prestação das juvenis.

Não conseguimos o apuramento para a próxima fase mas temos que estar satisfeitos e dar os parabéns a quem o conseguiu

E em iniciadas?

Conseguimos apurar nos directamente na fase final depois de vencer, este domingo, o Alpendorada. Esta geração tem vindo a trabalhar e a consolidar as bases para um futuro risonho do CALE.

Estar entre as 4 melhores nacionais do escalão é um justo prémio paras as atletas, equipa técnica e directiva. Já sabemos que não vai ser fácil, mas vamos confiantes em fazer o melhor que sabemos e sendo a fase final em Leça da Palmeira, podemos sonhar em garantir o 1.º lugar. Vamos trabalhar para que nada falte a quem vier a Leça da Palmeira disputar a fase final, visto estarmos ainda num momento de crise e uma conjuntura nada favorável. Será um justo prémio para esta equipa que tem vindo a marcar presença nas fases finais em anos anteriores.

Já agora convidamos todos que gostam de Andebol, que se desloquem a Leça da Palmeira para assistir a esta Fase Final.

E como tem sido a prestação da equipa de Infantis?

Tem corrido muito bem, tanto em minis como Infantis ainda não perdemos qualquer jogo oficial, embora não seja o mais importante para nos nestes escalões, contudo é sempre melhor crescer a ganhar do que perder.

Nestas idades, o que tentamos é a captação de atletas para que possamos ter um leque muito alargado de atletas. Este ano, temos vindo a aumentar o numero de atletas, onde tentamos que o gosto pela modalidade seja para ficar, mas também incutir o sentimento do que é SER CALE e aprender a gostar do clube. Os responsáveis dos respectivos escalões são exímios nisso, e os resultados estão a vista.

Em termos de seniores quem aponta como principal candidato ao título?

Quem chega a esta fase da época às meias finais da competição, são todos candidatos. Na minha opinião, o Madeira SAD será o principal candidato, mas temos que ter atenção as outras equipas que podem fazer um brilharete. O play-off tem mesmo esta espectacularidade que num dia mau pode mudar completamente os resultados. Espero que sejam umas meias-finais de grande emoção e que o Andebol Feminino saia vencedor.

As juniores B e Juniores A estão em fases finais. É um sinal que cada vez mais se trabalha melhor na formação em Portugal?

Sim. Temos vindo a crescer a nível do trabalho de formação em Portugal, o que a nós treinadores nos deixa extremamente satisfeitos e orgulhosos. Temos vindo a marcar presença nas fases finais de Campeonatos Mundo e da Europa, sendo sinal que estamos no bom caminho.

Aproveito para desejar boa sorte ao João Florêncio e a Sandra Martins nos campeonatos do Mundo na Macedónia, em sub-18 e, na Croácia, em sub-20.

Publicado in Andebol Feminino Portugal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here