Porto visto por Lars Schumacher

/ 6175 leituras
LARS Schumacher é realizador de cinema e fotógrafo alemão. Nasceu em Burgwedel e vive hoje em Burgdof, Hannover, Baixa Saxónia. A queda do muro de Berlim, facto histórico vivido pelos alemãe...

A crise política brasileira e a pesca do bacalhau

/ 3637 leituras
NO tempo em que o Brasil se aproxima dos seus duzentos anos de independência e quase cento e trinta anos de república, o país vive um dos momentos mais decisivos da sua história. Tão decisiv...

I CONVOCATÓRIA de Arte Postal

/ 2967 leituras
CONVOCAM-SE todos os interessados a participar na I edição de arte postal do Correio do Porto, que consiste em criar um postal com as seguintes especificações: Tema: a minha rua Dimensão...

Beto do Bandolim veio ao Porto

/ 1813 leituras
CHAMA-SE Adalberto Cavalcanti Silva, mas no mundo da música popular brasileira é conhecido por Beto do Bandolim. Nasceu no Recife, estado de Pernambuco, Brasil. Começou por tocar cavaquinho ...

Histórias em postais… vindas do Atlântico

/ 1795 leituras
TOMEI conhecimento do concurso «Histórias em Postais» pelo «blog» Concursos Literários (sigo-o já faz alguns anos, o seu trabalho de divulgação merece uma nota de apreço) e julguei, imediata...

Porto visto por Daniele Virgilio

/ 1791 leituras
DANIELE Virgilio é arquiteto urbanista italiano. Vive na sua cidade natal, La Spezia, tendo, entretanto, habitado de modo permanente em Genova. É autor de inúmeros ensaios sobre planeamento ...

Porto visto por Alexandre Andrade

/ 1779 leituras
ALEXANDRE Andrade é natural da freguesia de São Sebastião da Pedreira, em Lisboa. Até agora viveu 90% da vida naquela cidade. Esta é como um velho amigo com o qual convive regularmente e que...

Gémeos Ferreira de Marco de Canaveses

/ 1722 leituras
HÁ 20 ANOS a vida de José mudava "radicalmente" depois de uma promessa, cumprida a pé, entre Marco de Canaveses e o Santuário de Fátima. "Senti-me explorado, quando me pediam muito dinheiro ...

João Barbosa, 39 anos

/ 1678 leituras
JOÃO Barbosa recebeu, na quarta-feira, o prémio "Mérito Desportivo – Personalidade do Ano" na vertente do automobilismo durante a 19.ª Gala do Desporto da Confederação do Desporto de Portuga...

Luísa Silva em Southampton

/ 1554 leituras
NATURAL de Aguçadoura, Luísa Silva tem 24 anos e é enfermeira. Face à falta de emprego em Portugal, decidiu rumar a Inglaterra para exercer a profissão. Foi no intervalo da correria diária n...

Porto visto por Alice Vieira

/ 1531 leituras
A ESCRITORA Alice Vieira, além de Lisboa, terra natal, já viveu permanentemente em Paris e na Ericeira (concelho de Mafra). Gosta muito da vida citadina e de preferência próxima da água. Ao ...

Joana Costa e Fernando Milhazes na Route 66

/ 1529 leituras
OS POVEIROS Joana Costa, 31 anos, médica, e Fernando Freitas Milhazes, 33 anos, investigador,casaram em Setembro. A escolha para lua-de-mel foi a de percorrerem, durante três semanas, a míti...

Diana Pereira em Quelimane

/ 1491 leituras
A VIDA de Diana Pereira mudou radicalmente, no início de maio. A jovem trofense decidiu trocar o conforto do lar e mudar-se de armas e bagagens para Quelimane, cidade de Moçambique situada n...

Isabel Batata Doce, 53 anos

/ 1487 leituras
EM 1965, em Angola, um grupo de soldados portugueses encontrou uma bebé de 2 anos no meio do mato. Acolheram-na no quartel e trouxeram-na depois para Portugal, onde cresceu sob o olhar do re...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Moreira (1956)

COMO sempre disse, a Câmara Municipal do Porto, seja qual for a situação, defende sempre - enquanto eu for presidente - os seus interesses, defende sempre o interesse dos seus munícipes e, portanto, fez aquilo que devia fazer.

Rua da Estrada de Luanda

NÃO é só Luanda que está caótica. Caótico está o próprio conceito de cidade na versão habitual de andar por casa pensando que as cidades são os centros históricos da velha Europa, uns prédios apinhados, e umas auto-estradas, centros comerciais…, além extensos subúrbios, e pronto. Na África havia aquela ideia de que a cidade era a cidade colonial com suas avenidas e jardins limpinhos, casas lindas e prédios tropicalmente modernos. O resto era o caniço, o musseque, os indígenas e os seus outros mundos. A ordem e a desordem urbana faziam-se com este dualismo entre supostos civilizados e indíge...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 660 leituras
Os patos marrecos já nascem assim?