Porto visto por Carlos Renatto

/ 532 leituras
CARLOS Renatto já viveu em Belo Horizonte, Ouro Preto, Barbacena e Viña del Mar (Chile). Atualmente reside em Itabirito de onde é, aliás, natural. O seu trabalho, tal como sucedeu com outros...

Canismo

/ 639 leituras
OS DADOS sobre animais de rua no Brasil são muito imprecisos, mas estima-se que só na cidade de São Paulo, mais de 200 mil cães e gatos estejam perambulando pelas ruas sujeitos a todo o tipo...

Porto visto por Jerzy Stepniak

/ 943 leituras
JERZY Stepniak nasceu em Varsóvia onde sempre ali viveu. Estudou arquitetura na cidade natal, dedicando-se atualmente à pintura. Diz que gosta de pintar as ruas de Varsóvia, mas que não sabe...

Porto visto por Antonio García Teijeiro

/ 601 leituras
ANTÓNIO García Teijeiro nasceu em Vigo, Galiza, onde continua a viver e a ser influenciado pelo mar que banha aquela cidade. É autor de poesia infantil , tendo obtido este ano o Prémio Nacio...

Porto visto por Jasmina Petrovic

/ 1065 leituras
JASMINA Petrovic é designer textil. Nasceu em Gornji Milanovac, Sérvia. Antes de residir em Savinac, já viveu de modo permanente em Beograd e na terra natal. Diz que foi influencida pelos lu...

Beto do Bandolim veio ao Porto

/ 2012 leituras
CHAMA-SE Adalberto Cavalcanti Silva, mas no mundo da música popular brasileira é conhecido por Beto do Bandolim. Nasceu no Recife, estado de Pernambuco, Brasil. Começou por tocar cavaquinho ...

O adeus que nunca foi dito

/ 791 leituras
CATORZE de fevereiro de 1976. O dia mal começava e já havia uma actividade intensa dentro de casa. Eram os preparativos para a viagem inesquecível que ia fazer com sua família. De vez em qua...

Porto visto por Sandra Ronca

/ 402 leituras
SANDRA Ronca é escritora e ilustradora de literatura infantil. Nasceu no Rio de Janeiro e há uma década e meia passou a viver em Niterói, ambas cidades do Brasil. Diz-se influenciada pelos p...

Jaime Pacheco: o treinador do ano na China

/ 863 leituras
O TÉCNICO português que orienta o Beijing GuoAn foi considerado "o treinador do ano na China" por um jornal chinês e renovou o contrato com aquele clube de Pequim por mais dois anos. "Já ...

Escola de Mouriz ganha prémio Internacional de Arquitetura

/ 1422 leituras
Fotografia de Fernando Guerra in http://www.cnll.pt/blog/

Estilhas de Hiroxima e Nagasaki por João Pedro Mésseder

/ 884 leituras
EM 6 e 9 de Agosto de 1945, com a Segunda Guerra terminada na Europa, e numa altura em o Japão dera já sinais de capitulação, foram lançadas duas bombas atómicas, pelos Estados Unidos da Amé...

Portas no céu, Isabel na terra

/ 866 leituras
AS peças publicadas na última edição do Expresso de 26 de Agosto, sobre as eleições e a gestão de dinheiros públicos em Angola, refletem bem a tensão ideológica entre a visão promovida pelos...

Porto visto por Pedro Vieira

/ 1009 leituras
PEDRO Vieira é guionista e ilustrador freelance. O seu universo criativo foi construído a partir daquilo que o rodeava: a cidade de Lisboa, onde nasceu e vive. Quando pensa na cidade do Port...

Rua da estrada da miséria olímpica

/ 978 leituras
AO engodo de medalhas e bandeirinhas coloridas, o turista desavisado descobrirá logo à saída do aeroporto, o avesso do avesso das maravilhas da cidade olímpica. O Rio continua lindo diz no c...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Eduardo Vítor Rodrigues (1971)

SÃO declarações indignas de uma pessoa que ocupa o lugar que ele ocupa. Vamos defender o nome do município em tribunal. A única forma de desmentir este tipo de coisas é com papéis. O presidente do ACP não tem estatuto para difamar (…). Mas mais do que a questão da difamação, quero repor a verdade.

Rua da Estrada das terras viciosas

NOS idos de 1723, Bernard Mandeville escrevia a sua Fábula das Abelhas, ou de como os vícios privados se podiam transformar em públicas virtudes, chegando a questionar como é que uma nação poderia ser próspera e gloriosa se apenas fosse bondosa e atinada. No Século das Luzes, luminárias tão diversas como David Hume, Jeremy Bentham ou Adam Smith, embrulharam-se nestes meandros sobre o luxo, a moral, os bons e os maus costumes, ou a riqueza das nações. Completando o ramalhete, o Marques de Sade trataria do assunto da forma mais radical, com e sem a dança do varão aqui pintada, cerveja ou martini...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 707 leituras
A laranjeira dá as laranjas, a bananeira dá as bananas, a figueira dá as figas?