Porto visto por João Paulo Hergesel

/ 241 leituras
JOÃO Paulo Hergesel vive atualmenmte em Alumínio, depois de ter nascido em Sorocaba, ambas cidades do estado de São Paulo, Brasil. Acredita que a sua poesia, de certa forma, enfatiza os pequ...

Porto visto por Fátima Vianna

/ 196 leituras
FÁTIMA Vianna nasceu em Belo Horizonte, Brasil. As montanhas que cercam a cidade, na sua opinião, instalam a nostalgia, mas instigam a caminhar, o que se repercute na sua produção literária....

Porto visto por José Airton Mellega

/ 182 leituras
JOSÉ Airton Mellega, para além da cidade natal de Piracicaba, já viveu em Santa Barbara D'Oeste, Mococa e Itatiba, todas no Brasil. Escreve haicais, senryu e trovas, sendo um pouco influenci...

Porto visto por Vítor de Lerbo

/ 205 leituras
VÍTOR de Lerbo é natural de S. Paulo, Brasil, onde continua a viver. Cursou jornalismo e publicidade e é pós-graduado em argumento e roteiro para cinema e TV. Para o autor, S. Paulo assemelh...

“Clube Mediterrâneo: doze fotogramas e uma devoração” no AltCom

/ 268 leituras
CLUBE Mediterrâneo: doze fotogramas e uma devoração”, livro criado a partir de um poema de João Pedro Mésseder com ilustração de Ana Biscaia e tipografia e design de Joana Monteiro, é o repr...

Nápoles visto por Vittorio Bianco

/ 328 leituras
NASCIDO em Nápoles em 1961, Vittorio Bianco é um fotógrafo atento às possibilidades criativas e expressivas da linguagem fotográfica, seu interesse é penetrar no definido onde as combinações...

Porto visto por Ivanilton Tristão Pereira

/ 360 leituras
IVANILTON Tristão Pereira é carioca de gema. Aprecia escrever poemas, contos e de participar em antologias e concurso de poesia. Para Ivanilton, a cidade do Porto ainda se confunde com o paí...

Porto visto por Pepita Sampaio

/ 323 leituras
PEPITA Sampaio nasceu na cidade de Cabo Frio no estado do Rio de Janeiro, tendo, entretanto, ido residir para a capital do estado. É dentista e escritora de literatura infantil e juvenil. O ...

Um dia na vida de Vittorio Bianco

/ 297 leituras
VITTORIO Bianco vive em Nápoles, a terceira cidade mais populosa de Itália. A nosso pedido, o seu dia a dia foi retratado (literalmente) em dez fotos. Podemos vê-lo em casa, a preparar-se pa...

Porto visto por Mara Libber

/ 314 leituras
MARA Libber é natural do Rio de Janeiro onde sempre viveu. As paisagens e personagens desta cidade são inspiradoras para as suas atividades artísticas e, particularmente, as literárias. Já t...

Trisavô galego de Fernando Pessoa

/ 793 leituras
O VÍNCULO que une a Galiza e Portugal a través dalgúns dos seus máis eximios escritores é evidente. Así acontece co gran Luís de Camões, quen tivo como trisavô a Vasco Pires de Camões, nobre...

Porto visto por Luís Amorim

/ 271 leituras
LUÍS Amorim é consultor de empresa. Gosta de coleccionar postais e de escrever histórias longas, mas também curtas, algumas das quais enquadram-se em termos de tamanho no espaço de um postal...

Entrevista a Alberto Pimenta

/ 384 leituras
NO dia 29 de Setembro de 2017, Alberto Pimenta recebeu-nos em sua casa, numa Mouraria que já não é o que era em 2000, quando foi viver para lá. Subimos vários degraus, e as nossas ...

Porto visto por Tarsila Fonseca

/ 425 leituras
TARSILA Fonseca nasceu em Nova Iguaçu e hoje vive no Bairro de Jacarepaguá na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Gosta de escrever contos e poesia. Confessa que é muito difícil não ser influe...

Tabuleta Digital

Sete Perguntas

Vai no Batalha

Marco Martins (1978)

Considerando o pedido de vários colegas presidentes de Câmara, incluindo do próprio presidente da AMP, deixo a decisão de demissão para o coletivo na próxima reunião do Conselho Metropolitano, desde que me sejam dadas condições e carta-branca para trabalhar.

Rua da Estrada dos tempos que correm

NÃO ao rouvo" é uma expressão de correctíssima grafia segundo isso a que chamam o acordo ortográfico, que preconiza, entre outras coisas, que as palavras se devem escrever tal como são pronunciadas. Aqui trocam-se os bb pelos vv, como se sabe. O mais difícil de engolir não é isso. O mais difícil de engolir é este assado em que estamos metidos e que está bastante bem ilustrado na instalação exposta à beira da estrada: ainda há pouco tínhamos posses para ter um carrito com tudo a que tem direito, rodas, capota, assentos, motor, travões e o mais que é costume, e agora estamos reduzidos a um assen...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 570 leituras
O mar alto mede quanto?