2421
0
COMPARTILHAR
Inicio 7 Perguntas Sete pergunta...

Sete perguntas a João Manuel Ribeiro

Sete perguntas a João Manuel Ribeiro

0
2421

JOÃO Manuel Ribeiro após ter perdido a casa-avô passou a ser como um lugar mal situado. À procura do seu espaço, entrou neste reino do lado sul, vindo de S. Martinho da Gândara, em Oliveira de Azeméis. Cá dentro, ainda esteve em Valadares, parando agora ali em Lordelo do Ouro, a um pulinho do Jardim Botânico e da abandonada Casa das Artes. Um poeta andante é o que ele é.

Por Paulo Moreira Lopes

1 – Data de nascimento e naturalidade (freguesia e concelho)?

Nasci a 19 de Abril, uma sexta-feira do ano de 1968, em S. Martinho da Gândara, Oliveira de Azeméis.

2 – Atual residência (freguesia e concelho)?

Resido em Lordelo do Ouro, a um pulinho do Jardim Botânico e da abandonada Casa das Artes, no Porto.

3 – Escolas/Universidade que frequentou no distrito do Porto?

Frequentei a Escola Secundária de Valadares, de onde guardo boas memórias e, depois, a Universidade Católica do Porto.

4 – Formação académica?

Estudei (e continuo a estudar) Ciências da Educação (a concluir doutoramento na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra), Livros e Literatura Infantil e Juvenil (na Universitat Autònoma de Barcelona), Supervisão Pedagógica e Formação de Formadores (na FPCEUC) e Teologia (na Universidade Católica do Porto).

5 – Atividade profissional?

Editor e, ocasionalmente, professor.

6 – Em que medida o local onde viveu ou vive influenciou ou influencia o seu trabalho por referência a fenómenos geográficos (paisagem, rios, montanha, cidade), culturais (linguagem, sotaque, festividades, religião, história) e económicos (meio rural, industrial ou serviços)?

Muitos lugares passaram por mim; outros ficaram, em cicatrizes ou em alegrias. Retenho sobretudo o avô, esse lugar-pessoa onde morei desmedidamente, a sua casa-reino. Depois deste lugar, tornei-me nómada de todos os outros, recolhendo em cada um vestígios de lucidez para a serenidade dos dias. Ainda assim, seduzem-me, nos lugares, as casas (com as suas heras, os seus feitiços, os seus segredos). Incomodam-me as casas vazias, descarnadas, sem respiração. Das pessoas nada mais espero que humanidade.

7 – Endereço na web/blogosfera para o podermos seguir?

www.joaomanuelribeiro.net
http://andancasdopoeta.blogspot.pt/
Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here