Manhã

/ 433 leituras
1. A manhã é uma concha de água azul Onde o sol mergul...

Meio-dia

/ 526 leituras
A manhã,            cansada, ajoelha-se           aos pés...

Meia noite

/ 455 leituras
A noite,                intranquila, adormece            ...

Maresia

/ 427 leituras
o coração dum peixe enche-se de alegria Por Jorge Sousa ...

Mediterrâneo

/ 526 leituras
…À sombra doutras tardes eu falava-lhe das abelhas e dos ca...

Marisol

/ 416 leituras
Nome de actriz do cinema espanhol, nasceu com o sol nos cabe...

Mágoa

/ 405 leituras
1. Mágoa é água da má, da que mói e faz doer....

Marítimo

/ 432 leituras
O mesmo que cantor.   Por João Pedro Mésseder e F...

Meter água

/ 435 leituras
Abastecer o depósito do carro na bomba errada.   ...

Miragem

/ 361 leituras
Disfarce da água.   Por João Pedro Mésseder e Fra...

Música

/ 433 leituras
Água que canta; apetece acompanhá-la.   Por João ...

Mundo

/ 398 leituras
O mundo que não existe é o meu verdadeiro mundo.   ...

Montes

/ 438 leituras
1. Montes - quadris e ombros da Terra com pêlos e pele...

Marear

/ 471 leituras
Arear as ondas em dias de sol.   Por João Pedr...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Bragança Fernandes (1948)

O seu (José Vieira de Carvalho) maior orgulho era a Maia. A Maia que ele sonhou, que ele conquistou, e que irrompeu das suas fronteiras em direcção ao cume dos Municípios. Viveu pela Maia e pela Maia morreu. 

Rua da Estrada de Arbo

Texto e foto de Álvaro Domingues

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 1529 leituras
A quantos decibéis pulsa um coração apaixonado?