Nuvem

/ 390 leituras
1. Alma andarilha das águas. Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 62. 2. Comovido querubim não sabe conter a tris...

N

/ 188 leituras
O N era a letra de embalar por excelência. Naturalmente modesto e até um pouco néscio, ambicionava arredondar-se para ocupar menos lugar. E também para instilar sonambulismo no mundo à sua v...

Nenúfar

/ 392 leituras
Um nenúfar flutua na mesma água que a lua Por Jorge Sousa Braga, in O poeta nu , Nenúfares, Assírio & Alvim, 2.ª edição, abril de 2014, página 223.

Navalha

/ 319 leituras
1. Cúmplice companhia. Por Francisco Duarte Mangas, in A fome apátrida das aves, Modo de ler, página 34. 2. também a navalha do enxertador indicia a primavera Por Francisco ...

Neve

/ 357 leituras
1. Fuligem das queimadas do sol nos matagais celestes.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, página 65. ...

Navegador

/ 348 leituras
Aquele que escreve sobre as águas a melancolia dos dias.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 61.

Névoa

/ 365 leituras
Rebanho espesso a pastar no cume da madrugada.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 62.

Nicarágua

/ 338 leituras
País cujos habitantes inventaram a água. Para que a invenção nunca fosse esquecida, deram à capital o nome de Manágua, que significa mãe da água.   Por João Pedro Mésseder e Franc...

Narciso

/ 399 leituras
Aquele em cujo rosto se reflecte a ondulante vaidade das águas.   Por João Pedro Mésseder, in Elucidário de Youkali seguido de Ordem Alfabética, Editorial Caminho, janeiro d...

Nome

/ 327 leituras
Timbre activo, aos poucos modela o ser ou objectos timbrados.   Por João Pedro Mésseder, in Elucidário de Youkali seguido de Ordem Alfabética, Editorial Caminho, janeiro de ...

Névoa

/ 364 leituras
Ao pôr do sol, e com a névoa da baixa-mar, que é o hálito puro das águas.   Por Raul Brandão, in Os Pescadores, Estante Editora, 2.ª edição, agosto de 2010, página 150.

Neto

/ 320 leituras
1. é palavra de crescimento lento.   Por Francisco Duarte Mangas in A rapariga dos lábios azuis, Quetzal Editores, 2011, página 21.

Noite

/ 344 leituras
1. Noite de breu: onde acaba o mar e começa o céu? Por Jorge Sousa Braga, in O novíssimo testamento e outros poemas, Assírio & Alvim, página 25. 2. No alongar do ditongo o...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Rio (1957)

As pessoas que durante um ano e tal andaram a procurar destruir o partido, a destruir a minha liderança, a destruir a direção nacional, fizeram tudo o que estava ao seu alcance para isso, e chegar à última da hora [para] aparecer e dizer que dão um grande apoio é uma situação hipócrita.

Rota das Pirâmides

O EXÓTICO é um desejo; uma máquina de sedução; um domínio geo-semântico que designa um território imenso e quente, desconfinado, longínquo e incerto onde existem coisas estereotipadas, espécie de adereços e ambiências como o cheiro das especiarias, as trovoadas tropicais, as araras, as odaliscas, as palmeiras, os batuques, os camelos, e as pirâmides, por exemplo. O exotismo alimenta-se da nostalgia, do espaço e do tempo, como memória de uma idade de ouro em paragens remotas e tempos perdidos. Depois de Napoleão ter regressado a França após a Batalha das Pirâmides e se terem difundido as his...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 504 leituras
Quem cobre todas as propostas evita resfriados?