Nenúfar

/ 201 leituras
Um nenúfar flutua na mesma água que a lua Por Jorge Sousa Braga, in O poeta nu , Nenúfares, Assírio & Alvim, 2.ª edição, abril de 2014, página 223.

Navalha

/ 169 leituras
1. Cúmplice companhia. Por Francisco Duarte Mangas, in A fome apátrida das aves, Modo de ler, página 34. 2. também a navalha do enxertador indicia a primavera Por Francisco ...

Neve

/ 213 leituras
1. Fuligem das queimadas do sol nos matagais celestes.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, página 65. ...

Navegador

/ 211 leituras
Aquele que escreve sobre as águas a melancolia dos dias.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 61.

Névoa

/ 223 leituras
Rebanho espesso a pastar no cume da madrugada.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 62.

Nicarágua

/ 209 leituras
País cujos habitantes inventaram a água. Para que a invenção nunca fosse esquecida, deram à capital o nome de Manágua, que significa mãe da água.   Por João Pedro Mésseder e Franc...

Narciso

/ 237 leituras
Aquele em cujo rosto se reflecte a ondulante vaidade das águas.   Por João Pedro Mésseder, in Elucidário de Youkali seguido de Ordem Alfabética, Editorial Caminho, janeiro d...

Nome

/ 198 leituras
Timbre activo, aos poucos modela o ser ou objectos timbrados.   Por João Pedro Mésseder, in Elucidário de Youkali seguido de Ordem Alfabética, Editorial Caminho, janeiro de ...

Névoa

/ 194 leituras
Ao pôr do sol, e com a névoa da baixa-mar, que é o hálito puro das águas.   Por Raul Brandão, in Os Pescadores, Estante Editora, 2.ª edição, agosto de 2010, página 150.

Neto

/ 177 leituras
1. é palavra de crescimento lento.   Por Francisco Duarte Mangas in A rapariga dos lábios azuis, Quetzal Editores, 2011, página 21.

Noite

/ 195 leituras
1. Noite de breu: onde acaba o mar e começa o céu? Por Jorge Sousa Braga, in O novíssimo testamento e outros poemas, Assírio & Alvim, página 25. 2. No alongar do ditongo o...

Nuvem

/ 208 leituras
1. Alma andarilha das águas.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 62.   2. Comovido querubim...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Eduardo Vítor Rodrigues (1971)

NÃO vamos licenciar novas construções. Vamos legalizar casas e empresas com histórico. São empresas consolidadas no território e também é uma forma de evitar que, por falta de uma licença, possam decidir abandonar Gaia e estabelecer-se em concelhos vizinhos, retirando de cá postos de trabalho.

Rua da Estrada do Futuro

ADIVINHAR o futuro ainda é para muitos uma espécie de bruxedo do antigamente. Consultava-se o mediador comunicante com o insondável para que ele nos antecipasse os nossos medos e esperanças; jogavam-se os dados e as cartas, observava-se o voo das aves, ouvia-se a voz da vidente, do oráculo, da sacerdotisa ou do feiticeiro em busca de interpretações, de enigmas premonitórios que sugeriam isto ou aquilo. O futuro é um tempo problemático. Cronos, o deus grego, tanto era entendido como uma divindade do tempo cíclico das colheitas – por isso era representado com uma gadanha que depois passou a s...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 509 leituras
Bater no ceguinho dá cadeia?