Artigos na categoria Letra R

1. Rios - alegria móvel da Terra abrindo bocas nos fraguedos nus. Por Luís Veiga Leitão, in A bicicleta e outros poemas, Associação dos Jornali...

Sortido indistinto de pedaços de biscoitos que saíram partidos do forno.   Por Dora Mota in Cheira bem, cheira a Paupério

Fatal distracção, escrevi um g no sítio de r!   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Set...

As rugas dos teus olhos são linhas de água onde corre o ouro que neles sobra   Por Luís Veiga Leitão, in A bicicleta e outros poemas,...

1. rebanho, melancolia sem chocalho a diluir-se no monte   Por Francisco Duarte Mangas, in A fome apátrida das aves, Modo de ler, ...

A raposa sete manhãs de janeiro   o preço de ter uma pele.   Por Francisco Duarte Mangas, in A fome apátrida das aves, Mod...

O dó dos ricos é o sol dos pobres.   Por Augusto Baptista, in Histórias de coisa nenhuma e outras pequenas significâncias, Campo das Letras...

Puseram-nos rodilhas à cabeça Um modo antigo de nos virem coroar   Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página ...

…e por Antínoo e todo o amor da terra juro que vi a luz tornar-se pedra.   Por Eugénio de Andrade, Antologia breve, limiar, página 71.

…onde o pólen das palavras se desprende e dança dança dança até ao rio.   Por Eugénio de Andrade, Antologia breve, Editora Limiar, página ...

Única ave que, após trabalhos da Criação, preferiu ficar a viver no fundo do mar.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in B...

O que gosta de alimentar o sofrimento dos outros.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Cami...

Água espavorida.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 64.

Água de mar padecendo da chamada doença de água doce, cujo principal sintoma é a nostalgia das nascentes.   Por João Pedro Mésseder e Franc...

Vai no Batalha

FECHAMOS o ano a cerca de 12 milhões de euros da linha de água. Com o ritmo que temos, que é um ritmo de cerca de 25 milhões de redução por ano, vamos fechar o primeiro semestre no verde. Isso é particularmente importante porque vai-nos retirar as consequências de estar no vermelho.

Rua da Estrada

105 Leituras
AINDA era esta uma estrada real de empedrado escasso e incerto, ia eu com Dinis cavalgando lado a lado e ouvindo suas desventuras com certa dama. Dizi...

Enigmatógrafo

105 Leituras
Por que é que quando alguém diz santinho se responde atchim?