Penso

/ 944 leituras
Revela-se na luz e logo à cabeça, acomoda a constância da abundância: livra a noite da extracção do alimento e do cultivo no doce caminho das pedras gastas. SOBRE O AUTOR: Óscar P...

Seara Velha

/ 875 leituras
Este ano não fizeram a terra de pão, há muitos anos que não fazem a terra de pão, está em pousio há muitos anos, há muitos anos que não é ferida de foice, porque há muitos anos que não f...

Moura Morta

/ 734 leituras
Asa de folha no desapego do ramo, na incidência da luz fria do véu que flutua, da grinalda dos nenúfares da bandeja do pranto. Guarda a mão em ruína que alcança a beleza e o silêncio par...

Rio Fervença

/ 668 leituras
Estende-se em língua de chão afluente do sabor, na fieira dúctil, no murmulhar da ebulição. Estende-se no folhar das águas nas margens, no desfolhar da memória em imagens: (havia um hi...

Olho Marinho

/ 657 leituras
De que nascente vem o mar à fonte e trás o sal ao olhar? SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por ora vive em Paredes. Com formação ...

Cumieira

/ 634 leituras
Onde se religam os planos mais altos, a montanha persistente no eterno círculo: onde se recorta a figura na distância que só o olhar frequenta. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962...

Terrugem

/ 562 leituras
A respiração deita-se na sedução da pele, no respiro de óxido de terra na sudação mais íntima de cada poro. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alf...

Unhais da Serra

/ 534 leituras
Eis a montanha aos nossos pés. Por aqui os deuses nos fugiram para se alcandorarem nos céus ou caíram em si, de regresso à terra para aconchegar o bacelo na sua manta? SOBRE O AUT...

Forte da casa

/ 525 leituras
Mesmo que os vigamentos resvalem nas mísulas, as recravas descolem e se abram as portas e os travamentos se abatam na deriva da curva, resiste o espaço ígneo das pedras refractárias deba...

Árvore

/ 487 leituras
Há outra raiz que emerge no ar mais fundo e se descarna no fruto, na altura certa. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por ora vive...

Entre-os-Rios

/ 478 leituras
Numa espécie de península, escoa a quase quieta incorporação: as águas de regresso à água. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por...

Raiva

/ 468 leituras
Fenómeno breve da ebulição que é já parte do sentimento que fica no sedimento da decantação. SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. P...

Janeiro de Cima | Janeiro de Baixo

/ 420 leituras
É figura das duas faces do começo ou é o tempo que hesita na geografia? SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega da Fé. Por ora vive em Paredes...

Água Longa

/ 403 leituras
De que perdimento o veio vem, que longe o sustém e que tempo tem o fim uma pena de água corrente? SOBRE O AUTOR: Óscar Possacos (1962) é natural de Sendim da Ribeira, Alfândega...

Tabuleta Digital

Sete Perguntas

Vai no Batalha

Marco Martins (1978)

Considerando o pedido de vários colegas presidentes de Câmara, incluindo do próprio presidente da AMP, deixo a decisão de demissão para o coletivo na próxima reunião do Conselho Metropolitano, desde que me sejam dadas condições e carta-branca para trabalhar.

Rua da Estrada dos tempos que correm

NÃO ao rouvo" é uma expressão de correctíssima grafia segundo isso a que chamam o acordo ortográfico, que preconiza, entre outras coisas, que as palavras se devem escrever tal como são pronunciadas. Aqui trocam-se os bb pelos vv, como se sabe. O mais difícil de engolir não é isso. O mais difícil de engolir é este assado em que estamos metidos e que está bastante bem ilustrado na instalação exposta à beira da estrada: ainda há pouco tínhamos posses para ter um carrito com tudo a que tem direito, rodas, capota, assentos, motor, travões e o mais que é costume, e agora estamos reduzidos a um assen...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 156 leituras
O mar alto mede quanto?