Silêncio

/ 428 leituras
1. negociavam com estudado silêncio o resgate dos seus da possibilidade do naufrágio Por João Rios, in Aprendizagem Balnear, Cadernos do Grito, página Resgate. 2. O silêncio é ...

Sol

/ 421 leituras
1. Sol Que quando és nocturno ando Com a noite em minhas mãos para ter luz. Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página 240. 2. Estrela, astro central,...

Sororizar

/ 735 leituras
O verbo SORORIZAR, feminino de FRATERNIZAR, acho que não existia antes. Ou, se existia, nunca era conjugado. A língua portuguesa é demasiado patriarcal. Tive de o criar, ou, pelo menos, ...

Sanguessuga

/ 240 leituras
Pertence à família dos vampiros bons.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página 50.

Serpente

/ 243 leituras
Qual a diferença entre serpente e ser pente?   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página 50.

Sossego

/ 208 leituras
Mas basta-me um quadrado de sossego Para a distância absoluta   Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página 134.

Sara

/ 226 leituras
Sara é o nome do deserto É o nome da videira estéril É o nome à espera de ter filhos   Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página 151.

Sal

/ 213 leituras
Grãos de sol nascidos do suor marinho.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, página 67.

Sola

/ 239 leituras
Mulher do sol, passa os dias a calcorrear os caminhos da galáxia.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, pág...

Solange

/ 234 leituras
Anjo do sexo feminino, leva o jantar ao sol e, em seguida, ajuda-o a enfiar-se nos seus lençóis de mar.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, E...

Solar

/ 240 leituras
Palácio, casa grande e antiga habitada por gente por gente que gostava de viver de umbigo ao sol e com o rei na barriga.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Br...

Solário

/ 260 leituras
Terraço onde os poemas são postos a secar e ganham cor antes de serem impressos.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janei...

Soldado

/ 235 leituras
Forma incorrecta e nociva, mas muito frequente, de escrever sol dado.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002,...

Soldar

/ 231 leituras
Unir a alva a noite; ofício paciente do sol.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, página 68.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Rio (1957)

Ich weiss nicht, was sie sagen" ("Não sei do que falam").

Rota das Pirâmides

O EXÓTICO é um desejo; uma máquina de sedução; um domínio geo-semântico que designa um território imenso e quente, desconfinado, longínquo e incerto onde existem coisas estereotipadas, espécie de adereços e ambiências como o cheiro das especiarias, as trovoadas tropicais, as araras, as odaliscas, as palmeiras, os batuques, os camelos, e as pirâmides, por exemplo. O exotismo alimenta-se da nostalgia, do espaço e do tempo, como memória de uma idade de ouro em paragens remotas e tempos perdidos. Depois de Napoleão ter regressado a França após a Batalha das Pirâmides e se terem difundido as his...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 611 leituras
O telemóvel é um meio de incomunicação?