Silêncio

/ 361 leituras
1. negociavam com estudado silêncio o resgate dos seus da possibilidade do naufrágio Por João Rios, in Aprendizagem Balnear, Cadernos do Grito, página Resgate. 2. O silêncio é ...

Sol

/ 351 leituras
1. Sol Que quando és nocturno ando Com a noite em minhas mãos para ter luz. Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página 240. 2. Estrela, astro central,...

Sororizar

/ 616 leituras
O verbo SORORIZAR, feminino de FRATERNIZAR, acho que não existia antes. Ou, se existia, nunca era conjugado. A língua portuguesa é demasiado patriarcal. Tive de o criar, ou, pelo menos, ...

Sanguessuga

/ 188 leituras
Pertence à família dos vampiros bons.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página 50.

Serpente

/ 199 leituras
Qual a diferença entre serpente e ser pente?   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página 50.

Sossego

/ 159 leituras
Mas basta-me um quadrado de sossego Para a distância absoluta   Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página 134.

Sara

/ 188 leituras
Sara é o nome do deserto É o nome da videira estéril É o nome à espera de ter filhos   Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página 151.

Sal

/ 162 leituras
Grãos de sol nascidos do suor marinho.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, página 67.

Sola

/ 189 leituras
Mulher do sol, passa os dias a calcorrear os caminhos da galáxia.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, pág...

Solange

/ 193 leituras
Anjo do sexo feminino, leva o jantar ao sol e, em seguida, ajuda-o a enfiar-se nos seus lençóis de mar.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, E...

Solar

/ 192 leituras
Palácio, casa grande e antiga habitada por gente por gente que gostava de viver de umbigo ao sol e com o rei na barriga.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Br...

Solário

/ 207 leituras
Terraço onde os poemas são postos a secar e ganham cor antes de serem impressos.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janei...

Soldado

/ 191 leituras
Forma incorrecta e nociva, mas muito frequente, de escrever sol dado.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002,...

Soldar

/ 187 leituras
Unir a alva a noite; ofício paciente do sol.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, página 68.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Eduardo Vítor Rodrigues (1971)

NÃO vamos licenciar novas construções. Vamos legalizar casas e empresas com histórico. São empresas consolidadas no território e também é uma forma de evitar que, por falta de uma licença, possam decidir abandonar Gaia e estabelecer-se em concelhos vizinhos, retirando de cá postos de trabalho.

Rua da Estrada do Futuro

ADIVINHAR o futuro ainda é para muitos uma espécie de bruxedo do antigamente. Consultava-se o mediador comunicante com o insondável para que ele nos antecipasse os nossos medos e esperanças; jogavam-se os dados e as cartas, observava-se o voo das aves, ouvia-se a voz da vidente, do oráculo, da sacerdotisa ou do feiticeiro em busca de interpretações, de enigmas premonitórios que sugeriam isto ou aquilo. O futuro é um tempo problemático. Cronos, o deus grego, tanto era entendido como uma divindade do tempo cíclico das colheitas – por isso era representado com uma gadanha que depois passou a s...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 509 leituras
Bater no ceguinho dá cadeia?