Início » Arquivos

Artigos com a tag: Renata Carneiro

Verão por Francisco Duarte Mangas
[19 Ago 2017 | Comentar | ]
Verão por Francisco Duarte Mangas

Gosto do cheiro a sargaço inserto
 na palavra; outras vezes é a sua sombra
que procuro.

Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Rosmaninho
[23 Jul 2017 | Comentar | ]
Rosmaninho

Rosnar ternurento.
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

La Cita Encendida
[8 Jul 2017 | Comentar | ]
La Cita Encendida

La Cita Encendida nasce de um processo criativo concebido, desenvolvido e encimado por três artistas, Renata Carneiro, Rosa Puente e Mikel Alvira.
O resultado deste processo apresenta-se em peças autónomas que, mediante o diálogo estilístico e conceptual que mantêm entre si, geram uma composição coerente, harmoniosa e inspiradora.
Emanada pela inquietude dos três, La Cita Encendida é fruto de um percurso que se inicia em Madrid, num encontro onde a criatividade é encarada como o motor vital da junção dos três artistas. Cresce então a vontade, a quase necessidade, de criar algo em …

Girassol
[2 Jul 2017 | Comentar | ]
Girassol

Que luz procura quem semeia girassóis?
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Seiva
[14 Jun 2017 | Comentar | ]
Seiva

Íntima ternura
água florida.
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

A gaita do amolador
[26 Mai 2017 | Comentar | ]
A gaita do amolador

QUANDO, no espanto do dia, do alto dos telhados e das esquinas insondáveis da rua Miguel Bombarda, se ouvia o som da gaita do amolador a espalhar-se pelo ar, a embater no casario, a entrar pelas janelas, a meter-se pelas frinchas e pelas fechaduras comidas da ferrugem, a trepar pela pedra e o azulejo secular, a dona Celestina dizia logo,
“Olha. Amanhã vai chover”.
Era um som que se aproximava lento, que não se tinha a certeza de se ter ouvido logo ao início, como brisa leve que quase não provocasse aragem …

Ervivo
[21 Mai 2017 | Comentar | ]
Ervivo

Herdeiro universal da natureza. Seguiu a linha mais pura dos herbívoros.
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Cebola
[7 Mai 2017 | Comentar | ]
Cebola

Há coisas que nascem para nos fazer chorar.
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Semente
[23 Abr 2017 | Comentar | ]
Semente

Será a chuva a semente dos rios?
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.
 

Terra
[9 Abr 2017 | Comentar | ]
Terra

Por quantas raízes se tece o íntimo da terra?
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Primavera
[21 Mar 2017 | Comentar | ]
Primavera

Quando te vejo pela manhã
apetece-me ser eterno.

Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Hortelã
[12 Mar 2017 | Comentar | ]
Hortelã

Eis uma erva prudente
agasalhada
temendo que os fios
do inverno lhe roubem a fragrância.
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Urtigas
[26 Fev 2017 | Comentar | ]
Urtigas

Para esta viçosa planta
em parte alguma existe mão amiga.
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

“De onde elas nascem” de Renata Carneiro e Rosa Puente
[24 Fev 2017 | Comentar | ]
“De onde elas nascem” de Renata Carneiro e Rosa Puente

Publicado por Renata Carneiro.