COMPARTILHAR
Inicio Poemário Manuel de Sou...

Manuel de Souza Falcão

Manuel de Souza Falcão

0
301

2.
O som do sino

Perde-se redondo o som do sino
Chega lenta a água à areia seca
O último tronco da lareira
Desprende-se a folha e outra
O Sol dá lugar à Lua
Escurece sobre o campo-santo. Onde.

O corpo sua
A alma nua
Tua

in A violação do amor, Propagare, 2016, página 51

1.
Um inverno inteiro

Um instante
De uma tarde de Verão
Pode.

Pode dar-te um Inverno inteiro
Um sorriso breve
E breve uma palavra.
Nesse mesmo instante, o mesmo

Publicado in A violação do amor, Propagare, junho de 2006, pág. 91

Manuel de Souza Falcão vive e trabalha no Porto. É artista visual e docente. Formado em Desenho pela ESAP, em História da Arte pela FLUP, em Ensino da História pela ESEP e mestrando em Filosofia Contemporânea (Estética) na FLUP. Participou em cerca
de 40 mostras de artes plásticas (individuais e colectivas). Como poeta publicou Metade da Coisa, (2009) e A Violação do Amor (2016), ambas pela Propagare Edição, Colecção Poesia 1 e 5. É ainda divulgador de artes plásticas e de literatura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here