923
0
COMPARTILHAR
Inicio Obituário D. Manuel da ...

D. Manuel da Silva Martins (1927-2017)

D. Manuel da Silva Martins (1927-2017)

0
923
FALECEU hoje (24-09-2017), às 14h05, acompanhado dos seus familiares e após receber a Santa Unção administrada pelo pároco local.
As exéquias fúnebres de D. Manuel martins celebram-se na próxima terça-feira, dia 26 de setembro, pelas 15h00, no Mosteiro de Leça do Balio (Matosinhos – Porto).
 
O corpo do Senhor D. Manuel estará em câmara ardente no Mosteiro, a partir de amanhã, dia 25 de setembro, entre as 9h00 e as 24h00, e terça-feira, dia 26, entre as 9h00 e as 12h00.
 
A missa de sétimo dia pelo Senhor D. Manuel realizar-se-á no domingo, 01 de outubro, pelas 16h00, na Sé de Setúbal.

D. MANUEL da Silva Martins nasceu em Leça do Balio, concelho de Matosinhos, em 20 de Janeiro de 1927. Fez os seus estudos nos Seminários do Porto e na Universidade Gregoriana, em Roma. Começou a sua actividade como professor de Direito Canónico no Seminário maior do Porto, de que foi Vice-reitor.

De 1960 a 1969 (durante o exílio de D. António Ferreira Gomes, Bispo do Porto) foi pároco de Cedofeita. Para além de uma actividade pastoral intensa, aí promoveu a construção de nova igreja (completada pelo seu sucessor) e a “Arca de Noé”, para fins sociais e culturais. Recuperou ainda para o património paroquial a Creche de Cedofeita.

Em 1969, quando D. António regressou do exílio, foi nomeado Vigário-Geral da diocese. Em 1975, foi nomeado o 1º Bispo da diocese de Setúbal.

Tem sido notável, como reconhecem crentes e não crentes, a sua acção dinâmica em todas as vertentes, mas sobretudo na defesa aberta e persistente dos mais carecidos, quer em Portugal, quer em África.

Várias autarquias o nomearam “cidadão honorário”, condecorando-o com medalhas de mérito e dando o seu nome, em Setúbal, a uma Escola Secundária e ao Pólo-Sul da Universidade Moderna. É Doutor “honoris causa”, pela Universidade Lusíada.

Foi Presidente da Comissão Episcopal da Acção Social e Caritativa durante dois mandatos e é o Presidente da Comissão Episcopal das Migrações e Turismo, também por dois mandatos, cargos que o levaram em missão pastoral a muitos países.

Foi também Presidente da Secção Portuguesa da Pax Christi e é actualmente Presidente da Fundação SPES. Tem prestigiado extraordinariamente a Igreja, como referência atenta e arejada em relação aos problemas deste novo mundo, intervindo com desassombro em conferências, entrevistas e comentários na Televisão, na Rádio e na Imprensa Escrita.

Foi dispensado da Diocese de Setúbal a seu instante pedido, em Abril de 1998. Continuando a percorrer o País em intervenções na área do social.

Todo o episcopado do Bispo de Setúbal tem sido um clamor profético e ousado, quer nas suas homilias e conferências, quer pela Radio, Televisão e Imprensa Escrita.

Denunciou intrepidamente a fome, quando o desemprego angustiou dramaticamente muito povo da sua diocese. Denunciou erros, incoerências, hipocrisias e injustiças. Denunciou a humilhação desumana de ciganos e migrantes, de pobres e sem abrigo.

Publicado in Diocese do Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here