COMPARTILHAR
Inicio Lugar de Estilo Gazeta Literá...

Gazeta Literária da AJHLP Primavera/Verão 2020 n.º 7

Gazeta Literária da AJHLP Primavera/Verão 2020 n.º 7

0
89

CONVITE

lançamento da gazeta literária
dedicada a  egito gonçalves
germano silva evoca o poeta
leitura de poemas
por aurelino costa e júlio roldão
dia 13 de outubro, às 18 horas
na associação dos jornalistas
e homens de letras do porto
rua rodrigues sampaio, 140

publicado por Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto

*

Egito Gonçalves homenageado

A Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto acaba de comemorar mais um aniversário – o 138 – com a homenagem ao poeta lírico e da resistência Egito Gonçalves que se fosse vivo completaria cem anos. A sessão foi aberta pelo presidente da AJHLP, Francisco Duarte Mangas, que falou da importância do poeta cidadão, que se inseriu na linha da poemática da resistência, nos anos 60 e 70, em que as prioridades sócio-políticas tomavam lugar. Compreende-se porque é que testemunhou uma activa acção cultural em muitos campos, inclusive na pós Revolução do 25 de Abril enquanto primeiro Presidente da Direcção da AJHLP. Uma fortíssima intervenção e dinâmica cultural – a ter em conta – plena de projectos e de ideias – enfrentando barreiras – dado a uma consciência intelectual poética apurada. Germano Silva traçou, na sequência, uma perspectiva de conjunto da geração de Egito Gonçalves – nascido em Matosinhos, em 1920, – que enfrentou, todavia, as chamadas circunstâncias e ocorrências da ditadura salazarista. O resultado final, no entanto, é de uma geração que não estava imune à assertiva ideológica – tendo por base uma postura ética e estética – de mobilização contra a repressão fascista e de luta pela democracia. A mesma tende a criar revistas literárias como a Serpente (1951), Árvore (1952-1954) ou Notícias do Bloqueio (1957-1962). Nesse pré-histórico registado pontuaram um conjunto de activistas e de escritores, diferentes e convergentes no ser e compartilhar a vida cívica e cultural – como assinalou um dos seus amigos dos tempos do Teatro Experimental do Porto (TEP) Júlio Gago – donde se destacaram Daniel Filipe, Luís Veiga Leitão e, consequentemente, Papiniano Carlos. Um momento de capital importância nesta homenagem promovida pela AJHLP foi, porém, a leitura encenada e a interpretação de alguns poemas selectos de Egito Gonçalves pelos diseurs Aurelino Costa e Júlio Roldão. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here