Vejo o ferro e a ferrugem da paisagem
Os seixos quentes e imóveis
Os grifos sobranceiros
Com as asas castanhas
A futucarem os meus pensamentos.

Nas veredas, os alastrados
Os seixos como pães, os ninhos de cascavel
O cinzeiral dos lotes de ribaçã, o vozeiral, o ronco,
Forte arrulho estrondando no vazio.

As macambiras valentes, suas flechas negras
Fortes rugas na paisagem
As hastes da cor de sangue
Lambendo os terrais secos
As pedras lavradas, os liquens rupestres
As pinceladas das eras
A colorir os pastéis das pedras.

Já é tarde e a estrada me consome!
A poeira suspensa enevoa encarnada a paisagem
Recobre as folhas da malva esperta
As flores diminutas, as abelhas
Os seus fraques de ouro e carvão
Avançando sobre o marmeleiral
Suas hastes eretas e as folhas
Ensanguentando a paisagem.

Corcel branco sobre as nuvens cinza
Pégaso sobranceiro com asas luminosas
É astro na tarde deitando sobre a caatinga.

Na poesia do ocaso, o vento
Assanhando os meus cabelos
Oh! Cavalo de todas as artes (enxertos tresmalhados)
Músculos da força original primeira
Palcos evocados do eterno ensaio (eterno retorno)
Oh criação de estranhos mundos
Bizarras imagens das labaredas
Mancha viva na testa sob a estrela de bronze
Os arreios brilhantes, as moedas
Os brides escondendo
Os sonhos desembestados
Os olhos em fogo.

As carcaças
As armações brancas, os ossos no terral vermelho
Os mugidos, os aboios, as porteiras rangendo
O bater nos mourões, as tramelas mordendo a ferrugem.
A tintura do mundo.

Tenho saudade do mundo em seus olhos
No horizonte aluminoso
Do Senhor do Castelo.

Josafá Paulino de Lima, mais conhecido por Josafá de Orós, nasceu em Orós, CE, (1965). Reside em Campina Grande, PB, desde 1970. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). É sociólogo, artista plástico, poeta, produtor cultural, assessor em projetos de desenvolvimento, diretor executivo da Fundação Universidade Camponesa, sócio dos Institutos Históricos do Cariri Paraibano e do município de Pocinhos, na Paraíba. No campo artístico tem trabalhado com pesquisa, produção e exposições principalmente em xilogravura…

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns pelo Trabalho JOSAFÁ
    A XILOGRAVURA de Ariano condiz perfeitamente com o Poema
    ARIANO LUZ DO DIA
    A DESCRIÇÃO DO CAVALO ME LEVOU A INFANCIA
    GRATIDÃO POR COMPARTILHAR SUA ARTE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here