897
0
COMPARTILHAR
Inicio Do Porto Paulo Pinto

Paulo Pinto

Paulo Pinto

0
897

PAULO Pinto desde cedo que revelou uma veia artística e hoje sente a fotografia como uma paixão. O proprietário do estúdio de fotografia e vídeo Foto Pinto, empresa que criou com a esposa, Rosaria Barros, há 20 anos, diz que abraçou a arte de fotografar por acidente mas depressa se apercebeu que era isso que queria fazer da vida.

“A paixão pela fotografia apareceu quase que por acidente mas depressa me apercebi de que era aquilo que gostava de fazer e queria fazer na minha vida”, disse o empresário.

O primeiro emprego que teve, era ainda muito jovem, foi para conseguir pagar os estudos. Paulo Pinto vivia com mais 8 irmãos e a família tinha muitas dificuldades. Começou por trabalhar na EDP e mais tarde conseguiu um trabalho numa loja de fotografia em Paredes. Pouco tempo depois já pensava em abrir o seu próprio negócio.

“Fui trabalhar para a EDP na altura e depois surgiu a oportunidade de ir trabalhar para um fotógrafo em Paredes. Depois daí senti que emergiu aquele bichinho de fotografar e uma vontade de seguir o meu próprio caminho”, garante Paulo Pinto.

Esteve para tirar um curso de desenho mas as dificuldades financeiras não o permitiram. O empresário assegura que hoje não se sente arrependido de ter enveredado por uma área diferente. “Era o meu destino. Quando fazemos aquilo que gostamos e recebemos dinheiro por isso é muito bom”.

“As pessoas hoje valorizam mais a fotografia.”

Quanto ao lema da empresa Paulo Pinto garante que “é fazer sempre o melhor para servir o nosso cliente”. O principal objetivo em cada negócio é que “o cliente fique satisfeito. Se o cliente ficar satisfeito vai com certeza voltar e aconselhar o trabalho aos amigos. Essa é a melhor divulgação”, afirma o empresário.

Aposta na internet e nas redes sociais para conquistar novos clientes e divulgar a empresa. O empresário garante mesmo que é fundamental para qualquer empresa, hoje em dia, ter uma presença forte no mundo online. “É impensável hoje uma empresa, ainda que pequena, não ter uma página na internet e facebook. Na minha opinião o facebook é a melhor ferramenta de divulgação do nosso trabalho. É assim que atraio novos clientes”, acrescenta o gerente do estúdio de fotografia.

Apesar de admitir que os tempos mudaram muito e que hoje o negócio não é igual ao que tinha há 20 anos atrás, até pela força do tempo, Paulo Pinto garante que não tem sentido a crise e que o negócio tem corrido bem. Nos últimos dois anos a empresa conseguiu até aumentar o número de clientes.

“As coisas têm corrido bem. Vejo tantos correntes meus a dizer que não têm trabalho mas eu tenho aumentado os meus clientes. O balanço que faço é positivo. As coisas mudaram muito claro desde há 20 anos atrás e hoje as pessoas valorizam mais a fotografia”, admite Paulo Pinto, acrescentando que “a empresa não tem sentido decréscimo na procura porque foi filtrando os clientes com o tempo. Com os anos consegui chegar a uma gama de clientes que não se importa de pagar um preço mais caro porque procuram um bom serviço e não um bom preço”.

“Considero-me um profissional e empresário de sucesso”.

Para uma empresa vingar na área da fotografia Paulo Pinto garante que tem de apostar na formação dos profissionais para estar sempre atualizada. O empresário entende que quem não quiser perder o negócio tem de estar constantemente a par das novas tendências, tecnologias e técnicas profissionais.

“A formação é uma coisa muito importante que eu aprendi com a Associação de Fotógrafos Profissionais. É fundamental para quem está no negócio da fotografia apostar na formação continuada porque quem não acompanhar as novas tecnologias, não investir na modernização e não estiver atualizado perde o comboio”, sustenta Paulo Pinto.

Diz que não precisa de gerir uma empresa com 100 funcionários para ser um empresário de sucesso. Os 5 empregados que atualmente compõem a sua empresa e o trabalho que fazem bastam para garantir o sucesso do negócio que dirige há duas décadas. “Considero-me um profissional e empresário de sucesso porque as pessoas falam bem do meu trabalho e isso significa que alcancei o meu objetivo de chegar ao cliente” afirma.

Em relação à crise e saturação do mercado de trabalho, o empresário assume que não haverá espaço para todos. Na área da fotografia e produção de vídeos acredita que “haverá lugar apenas para os que são realmente bons e os que praticarem os preços mais baratos”.

“Expandir o negócio é o nosso objetivo neste momento”.

Acha que a maior dificuldade do meio e do negócio é a “concorrência desleal. Hoje em dia vemos com muita facilidade qualquer tipo de pessoa a fazer os meus serviços que nos fazemos sem ter competência e formação para isso. E consegue praticar preços que nos não conseguimos praticar”, garante Paulo Pinto.

Olha para o futuro com bons olhos e acredita que vai conseguir expandir o negócio, sonhando mesmo alcançar objetivos profissionais no estrangeiro. “Expandir o negócio é o nosso objetivo neste momento, e acho que o conseguimos concretizar se as coisas continuarem a correr assim. Gostava de abrir uma loja num grande centro com muito mais população e, a longo prazo, abrir uma loja na Suíça ou em Paris. Sei que é difícil mas posso sempre continuar a sonhar”, sublinha o fotógrafo.

Por Helena Nunes in http://www.progressodeparedes.com.pt/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here