116
0
COMPARTILHAR
Inicio Chama-lhe bruxo! Bacari &#8211...

Bacari – Chama-lhe bruxo!

Bacari – Chama-lhe bruxo!

0
116

PROFESSOR BACARI: Astrólogo-espiritualista, especializado na astrologia e espiritualismo, com poderes absolutos e rápidos em solução de caos difíceis, através dos conhecimentos adquiridos em longos tempos, nos centros espíritas vários. Ajuda a resolver os problemas de amor, doenças espirituais, negócio, invejas, maus olhares, vícios de droga, tabaco e alcoolismo, aproxima e afasta as pessoas amadas, com rapidez e eficácia e garantia total. Considerado um dos melhores profissionais em Portugal e faz trabalho à distância. Lê a sorte e dá previsão de vida e futuro. Se quer realizar e alcançar ao seu lado o que quer contacte o PROFESSOR pessoalmente, pelo telefone ou carta.

NOTA DO EDITOR: Temos verificado a existência de muitos anúncios em pequenos retângulos de papel, alusivos a serviços de videntes. São deixados no vidro dos carros ou entregues em mão (mais na cidade de Lisboa). É fascinante o poder da palavra de tais anúncios e ainda mais dos próprios videntes, isto segundo rezam alguns testemunhos publicitados nos jornais e televisões. É uma literatura muito apelativa, com grande eficácia (presume-se) e que merece ser divulgada para eventuais estudos sociológicos ou, quem sabe, linguísticos.

Em termos jurídicos, a prestação de tais serviços é feita com dolus bonus, isto é, com algum ou muito exagero, mas tolerado pelo comum dos cidadãos, não merecendo da parte do Direito a tutela jurídica (cfr: artigo 253.º, n.º 2 do Código Civil).

“Vidente de Fátima” absolvido do crime de burla: “O que tinha combinado era acompanhamento humano, nunca prometo milagres. Aqui não há milagres, não existem milagres”.

É caso para subscrever o aforismo de José SesinandoÉ vidente: mente, evidentemente.

Alguns dos anúncios já serviram para o Homo Onomatopaico se expressar. Se os leitores encontrarem mais anúncios podem digitalizar e enviar para geral.correiodoporto@gmail.com

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAgosto
Próximo artigoRegina Gouveia (1945)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here