A viagem a São Miguel

/ 420 leituras
Eu fui a São Miguel e gostei de estar lá. Zanguei-me com minha mãe porque eu queria andar de taxi: para quê caminhar 5 km até um restaurante? Mas valeu a pena. Porque o frango é bom. ...

O Grande Hotel

/ 497 leituras
O Grande Hotel nos traz conforto e muita paz além de momentos de lazer isso mostra do que ele é capaz! Por Ketlin Rodrigues da Silveira, que vive em Pelotas, Brasil.

Pobre

/ 424 leituras
Nascera pobre. A infância de privações sem limites despertara o desejo da guinada. Nem o corpo flagelado minou a esperança. Labutou por décadas na lida inglória dos desafortunados. Pel...

Quem é você?

/ 456 leituras
Quem é você, que no verão me deixa morta de frio, no outono me faz esperar, no inverno deixa um vazio e na primavera me faz chorar? Por Mara Libber, que vive no Rio de Janeiro, Brasil...

O passarinho

/ 875 leituras
Um passarinho ainda bebé caiu do ninho para a rua. Uma pessoas que passavam levantaram-no do chão e levaram-no para casa. Puseram-no junto a uma janela e trataram-no. A mães, quando cheg...

Os doces da minha cidade

/ 589 leituras
Para provar os doces da minha cidade tem que conhecer bem nossa cultura, e sempre prová-los com muita fartura. Analiel Malue, que vive em Pelotas, Brasil.

Exposição – Histórias em Postais na AJHLP

/ 1086 leituras
Decorreu entre 8 a 31 de março de 2017, de 2.ªs a 6.ªs, das 14h às 18h, na ASSOCIAÇÃO DOS JORNALISTAS E HOMENS DE LETRAS DO PORTO, sita na Rua Rodrigues Sampaio, 140 Porto, Telef. 22 2080565...

Fugas

/ 832 leituras
Fugas furtivas, Furtivas fugas Onde a força no éter se esvai Parte de mim, cá, comigo fica, A outra, com ela vai. Por Ismar Barbosa, que vive Maracanã, Rio de Janeiro, Brasil.

Equador – Maré Baixa

/ 538 leituras
A vaga anda salpicando. A maré está caindo, a água calma deixa atrás de si faixas de areia, caranguejos frenéticos correndo. O recife aparece como uma crista branca, além do mar verde co...

Serpente vermelha

/ 580 leituras
A ruptura aconteceu na surdina, sem qualquer presságio. De repente, a impiedosa enxurrada de lama eclodiu arrastando sonhos, amores, vidas. E não parou. Teimosa, incontrolável, foi ocup...

O colchão

/ 420 leituras
Na ginástica, eu chorei: um colchão caiu em cima de mim. Talvez estivesse cansado, como eu estava. Por Ana Rita Sousa, aluna n.º 3, do 5.º B, EBS de Santa Maria, Região Autónoma dos A...

A amiga

/ 415 leituras
Ontem, fui a casa da minha amiga e ela caiu. Ajudei-a. Que alívio! Imaginem se fosse a casa... Por Carolina Bairos, aluna n.º 7, do 5.º B, EBS de Santa Maria, Região Autónoma dos Açore...

A Praia do Laranjal

/ 530 leituras
A Praia do Laranjal tem céu azul e pôr do sol lindo, tem areia de montão e um trapiche bem comprido. Por Luiza Schmidt, que vive em Pelotas, Brasil.  

A questão de aula

/ 453 leituras
O João demorou vinte cinco minutos a resolver a questão aula. Era difícil. Vai chumbar. Por Daniela Correia, aluna n.º 5, do 5.º C, EBS de Santa Maria, Região Autónoma dos Açores, Por...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Manuel Pizarro (1964)

TEMOS uma posição na fachada atlântica altamente privilegiada para nos podermos afirmar como dos grandes players europeus do sector das pescas. Mas não basta. Temos de trabalhar em medidas e instrumentos que tornem esta atividade mais atrativa.

Maxilar deslocado

Desde que os humanos investem nas suas cabanas e abrigos pouco primitivos, têm vindo a aumentar e a diversificar-se o número de próteses domésticas que tornam os espaços habitáveis, confortáveis e usáveis para os mais diversos e inesperados fins.

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 1027 leituras
Antes de haver telemóvel, como é que as pessoas incomunicavam?