Percursos Azulares por Marta de Aguiar

/ 813 leituras
Por Marta de Aguiar em exposição na Agitarte – Exposição de ...

Sem título por Maria Rosas

/ 1002 leituras
Por Maria Rosas em exposição na Agitarte – Exposição de Arte...

Sem título por Maria Rafael

/ 848 leituras
Por Maria Rafael em exposição na Agitarte – Exposição de Art...

Sem título Maria da Paz Amorim

/ 851 leituras
Por Maria Paz Amorim em exposição na Agitarte – Exposição de...

Sem título por Manuel Ramos

/ 683 leituras
Por Manuel Ramos em exposição na Agitarte – Exposição de Art...

Sem título Manoel Bonabal

/ 758 leituras
Por Manoel Bonabal em exposição na Agitarte – Exposição de A...

Sem título por Limberth Rojas

/ 562 leituras
Por Limberth Rojas em exposição na Agitarte – Exposição de A...

Pasen las horas y no retornen por Juan Sebastián Carnero

/ 664 leituras
Por Juan Sebastián Carnero em exposição na Agitarte – Exposi...

Meu por José Rosinhas

/ 576 leituras
Por José Rosinhas em exposição na Agitarte – Exposição de Ar...

Leyendo com Flores por Isabel Pintado

/ 497 leituras
Por Isabel Pintado em exposição na Agitarte – Exposição de A...

Sem título por Isabel Mourão Alves

/ 522 leituras
Por  Isabel Mourão Alves em exposição na Agitarte – Exposiçã...

É teu o meu jardim por Isabel de Andrade

/ 552 leituras
Por  Isabel Andrade em exposição na Agitarte – Exposição de ...

Sem título por Isabel Braga

/ 505 leituras
Por Isabel Braga em exposição na Agitarte – Exposição de Art...

Sem título por Inma Doval Porto

/ 518 leituras
Por Inma Doval Porto em exposição na Agitarte – Exposição de...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Bragança Fernandes (1948)

O seu (José Vieira de Carvalho) maior orgulho era a Maia. A Maia que ele sonhou, que ele conquistou, e que irrompeu das suas fronteiras em direcção ao cume dos Municípios. Viveu pela Maia e pela Maia morreu. 

Rua da Estrada de Arbo

Texto e foto de Álvaro Domingues

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 691 leituras
Chegaremos aos quatrocentos?