Maria Amélia Ferreira, 63 anos

/ 244 leituras
A LIGAÇÃO de Maria Amélia Ferreira à Universidade do Porto começou em 1972, quando chegou à Faculdade de Medicina (FMUP) para frequentar o curso de Medicina. Foi aí, num curso com mais de 80...

Raquel Fernandes (1989)

/ 183 leituras
COMEÇOU o projecto em 2014 e desde então não tem parado. Na altura, em jeito de trabalho de mestrado — em Ilustração e Animação, no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave —, Raquel Fernand...

Armanda Gonçalves, 64 anos

/ 165 leituras
ARMANDA Gonçalves, de 64 anos, é juiz presidente do Tribunal Judicial da Comarca do Porto Este, com sede em Penafiel, desde 2014. É um exemplo de mulher que conseguiu, “com esforço e dete...

Fernando Matias Marques (1918)

/ 220 leituras
CAXINAS comemorou no primeiro dia de Março os 100 anos de Fernando Matias Marques, o mais velho homem daquela comunidade piscatória. Não foi apenas o centenário de Fernando da Rebina, como é...

Ana Margarida Lopes, 26 anos

/ 173 leituras
AOS 26 anos, Ana Margarida Lopes acumula cerca de uma dezena de medalhas nas principais provas nacionais universitárias de atletismo, “ao serviço” da Universidade do Porto. Mas nem só de des...

Joana Oliveira, 37 anos

/ 218 leituras
SERÁ possível criar alimentos benéficos para a saúde a partir de resíduos do vinho? Joana Oliveira, investigadora do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências (FCUP) e re...

Armando Requeixo em tertúlia na Velhotes

/ 222 leituras
CRÓNICA visual do acto sobre Literatura e Imaxe celebrado na Libraría Velhotes de Vila Nova de Gaia coa magnífica moderación de João Manuel Ribeiro. Animado faladoiro co público, entre o que...

Maria Emerenciana Ramos (1959)

/ 145 leituras
MARIA Emerenciana Martins Lopes Ramos nasceu em 1959, em Amorim, Póvoa de Varzim. Concluiu a antiga 6ª classe na Escola de Amorim. Casou com João Ramos e tem dois filhos e uma filha. Embora ...

Lia Fernandes, 56 anos

/ 220 leituras
PRIMEIRO, inspirada pelo pai, “pelo seu exemplo de total dedicação e espírito de missão”, Lia Fernandes, investigadora do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde...

Francisco Barbosa (1961)

/ 201 leituras
FRANCISCO Luís Ramos Barbosa nasceu em 1961, em Barcelos, e um mês depois veio viver para a Póvoa de Varzim, porque o pai, pasteleiro de profissão, foi trabalhar para a Pastelaria Al...

André Sousa, 17 anos

/ 171 leituras
DISCRETO, de pensamento rápido e apaixonado pelo xadrez. Assim se caracteriza André Sousa, estudante do 1.º ano do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da Faculda...

A Sr.ª Quitéria

/ 224 leituras
A Sr.ª Quitéria vivia numa das ilhas, mas sempre a conheci na esquina do Paraíso com Camões, enrolada no cobertor cinzento-escuro que lhe protegia um ombro e a panela das castanhas, um pouco...

José Manuel Monteiro Nunes (1958)

/ 207 leituras
JOSÉ Manuel Monteiro Nunes nasceu em 1958 na maternidade de Cedofeita, mas está registado na Póvoa de Varzim. Fez o ensino primário na Escola do Grémio. Depois de concluir a antiga 6...

Filipe Pereira, 37 anos

/ 140 leituras
ETERNO curioso sobre o funcionamento de tudo o que o rodeia, Filipe Pereira enveredou pela área da Biologia atraído pela complexidade e diversidade das inúmeras formas de vida. O gosto pela ...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Eduardo Vítor Rodrigues (1971)

NÃO vamos licenciar novas construções. Vamos legalizar casas e empresas com histórico. São empresas consolidadas no território e também é uma forma de evitar que, por falta de uma licença, possam decidir abandonar Gaia e estabelecer-se em concelhos vizinhos, retirando de cá postos de trabalho.

Rua da Estrada do Futuro

ADIVINHAR o futuro ainda é para muitos uma espécie de bruxedo do antigamente. Consultava-se o mediador comunicante com o insondável para que ele nos antecipasse os nossos medos e esperanças; jogavam-se os dados e as cartas, observava-se o voo das aves, ouvia-se a voz da vidente, do oráculo, da sacerdotisa ou do feiticeiro em busca de interpretações, de enigmas premonitórios que sugeriam isto ou aquilo. O futuro é um tempo problemático. Cronos, o deus grego, tanto era entendido como uma divindade do tempo cíclico das colheitas – por isso era representado com uma gadanha que depois passou a s...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 509 leituras
Bater no ceguinho dá cadeia?