Utopia

/ 85 leituras
2. magnólia branca, estende as raízes no húmus dos sonhos....

U

/ 181 leituras
O U era um poço sem fundo de escuta. Confessor do G e pau de...

Urso

/ 625 leituras
Escorre mel por esta palavra. Por Francisco Duarte Mangas...

Umbral

/ 535 leituras
O umbral anúncio Por Daniel Faria, in Poesia, Explicação ...

Ursa Maior

/ 413 leituras
A Ursa Maior na água do rio abanando a cauda Por Jorge ...

Urubu

/ 431 leituras
Dos tempos de escola só se lembra de uma vogal.  ...

Umbráculo

/ 496 leituras
Lugar esconso onde a sombra é sodomizada.   ...

Usurário

/ 456 leituras
O que insiste em não dar uso ao numerário.   ...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Bragança Fernandes (1948)

O seu (José Vieira de Carvalho) maior orgulho era a Maia. A Maia que ele sonhou, que ele conquistou, e que irrompeu das suas fronteiras em direcção ao cume dos Municípios. Viveu pela Maia e pela Maia morreu. 

Rua da Estrada de Arbo

Texto e foto de Álvaro Domingues

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 779 leituras
Chegaremos aos quatrocentos?