Querubim

/ 275 leituras
1. Menino com asas Vive para além das nuvens.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página 48.  ...

Quarto crescente

/ 232 leituras
A Lua,                 apavorada, não sabe como parar de crescer.   Por César Augusto Romão, in Tanto ar, Propagare, 2009, página 26.

Quarto minguante

/ 239 leituras
A Lua,               envergonhada, esconde o corpo            da sua nudez.   Por César Augusto Romão, in Tanto ar, Propagare, 2009, página 28.

Queimada

/ 201 leituras
Espaço inacessível onde o sol, às vezes, despeja toda a sua ira.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, pági...

Quezília

/ 221 leituras
Qualidade de flor de caule espinhoso.   Por João Pedro Mésseder, in Elucidário de Youkali seguido de Ordem Alfabética, Editorial Caminho, janeiro de 2006, página 49.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Rio (1957)

Ich weiss nicht, was sie sagen" ("Não sei do que falam").

Rota das Pirâmides

O EXÓTICO é um desejo; uma máquina de sedução; um domínio geo-semântico que designa um território imenso e quente, desconfinado, longínquo e incerto onde existem coisas estereotipadas, espécie de adereços e ambiências como o cheiro das especiarias, as trovoadas tropicais, as araras, as odaliscas, as palmeiras, os batuques, os camelos, e as pirâmides, por exemplo. O exotismo alimenta-se da nostalgia, do espaço e do tempo, como memória de uma idade de ouro em paragens remotas e tempos perdidos. Depois de Napoleão ter regressado a França após a Batalha das Pirâmides e se terem difundido as his...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 611 leituras
O telemóvel é um meio de incomunicação?