Outono

/ 725 leituras
1. das aves caem as penas. emigram as árvores à procura de outro sol. Por Francisco Duarte Mangas, in A fome apátrida das aves, Modo de ler, página 195. 2. Fosses tu uma ave ou um...

Olhos

/ 418 leituras
1. e aprimorando a bolina dos olhos arrancavam da pobreza os sargaços de medo Por João Rios, in Aprendizagem Balnear, Cadernos do Grito, página Infantes. 2. e o moço o Nél, de olho...

O

/ 177 leituras
O O espantava-se com tudo ou, pelo menos, fazia como se... Perante a rotunda doçura do seu constante pasmar, era difícil decidir se ele mostrava pura estupefacção ou se exagerava para dar gr...

Ouriço-cacheiro

/ 362 leituras
Fruto caminhante no sossego da noite.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página 42.

Ovelha

/ 361 leituras
Animal friorento nem no Verão despe o grosso casaco de lã.   Por Francisco Duarte Mangas, in O noitibó, a gralha e outros bichos, Editorial Caminho, Setembro de 2009, página...

Ofício

/ 353 leituras
O meu projecto de morrer é o meu ofício   Por Daniel Faria, in Poesia, Edições Quasi, Novembro de 2003, página 85.

Ouro

/ 427 leituras
Só os arrogantes aprisionam e exibem assim o sol.   Por Francisco Duarte Mangas e João Pedro Mésseder, in Breviário do Sol, Editorial Caminho, Janeiro de 2002, página 66.

Ódio

/ 414 leituras
1. o ódio esconde-se nas franjas do amor...   Por Antero de Alda, in a reserva de Mallarmé, Galápagos Fábrica de Poesia, 2013, página 12.   2. Ódio velho não c...

Oceano

/ 352 leituras
Nome do clã mais poderoso das águas.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 62.

Outubro

/ 368 leituras
Nome do mês em que o lume ateado pelos olhos incendeia as folhas. Por João Pedro Mésseder, in Elucidário de Youkali seguido de Ordem Alfabética, Editorial Caminho, janeiro de 2006, pág...

Onda

/ 347 leituras
1. Filha desinquieta da água, transporta o sal para terra.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 63. &nb...

Ovo

/ 486 leituras
1. Em sua ortografia circular guarda um secreto núcleo de sangue: uma outra palavra por nascer   Por João Pedro Mésseder, in Elucidário de Youkali seguido de Ordem Alfabé...

Orvalho

/ 357 leituras
1. Diamante subtraído do estojo de jóias do Inverno.   Por João Pedro Mésseder e Francisco Duarte Mangas, in Breviário da Água, Editorial Caminho, 2004, página 63.   ...

Óbidos

/ 375 leituras
Óbidos visto da estrada é o cenário dum presépio, com as muralhas recortadas e moinhos de vento a trabalhar na encosta. Só lhe faltam alguns pastores, com gaitas de foles, descendo do monte....

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Jorge Nuno Pinto da Costa (1937)

QUERO viver o tempo livre que me resta a amar os que gostam de mim e não a estar preocupado com os meus inimigos. Com o vosso entusiasmo, o F. C. do Porto, seja com quem for, será sempre um grande clube.

Casa do Brasileiro

ESCRITORES como Camilo ou Júlio Dinis reproduziam na literatura a velha tendência de, através da crítica do gosto, marcarem distâncias sociais face à ascensão de novas elites. Neste caso, tratava‑se da figura do “brasileiro” rico de torna viagem, sem a ascendência aristocrática e o “berço” das boas famílias e das boas casas que não tinham palmeiras nos jardins. Não interessa aqui saber qual foi a receita que misturou as origens arquitectónicas eruditas e quais são elas. No entanto, Camilo não se poupava no palavreado ridicularizador quando escrevia a propósito de uma destas casas: … cor ...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 995 leituras
Com tanto mar, amar é assunto salgado?