Girassol

/ 203 leituras
Que luz procura quem semeia girassóis? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Rosmaninho

/ 714 leituras
Rosnar ternurento. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Prado

/ 489 leituras
Que animais ao cair do dia pastam a verde palavra na imensidão do prado? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Terra

/ 474 leituras
Por quantas raízes se tece o íntimo da terra? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Semente

/ 418 leituras
Será a chuva a semente dos rios? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.  

Alho

/ 471 leituras
Dentes tão brancos, hálito tão desagradável. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Grão-de-bico

/ 327 leituras
E não sabe cantar. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. SOBRE O AUTOR: Francisco Duarte Mangas (Rossas, 1960) foi professor três anos e jornalista dur...

Herbário

/ 357 leituras
Que a dúvida não floresça: herbário não é parente do camelo. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. SOBRE O AUTOR: Francisco Duarte Mangas (Rossas, 1960) fo...

Cerejeira

/ 596 leituras
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Jasmim

/ 326 leituras
Pronome pessoal bem cheiroso. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. SOBRE O AUTOR: Francisco Duarte Mangas (Rossas, 1960) foi professor três anos e jornali...

Nabiça

/ 547 leituras
Mulher solteira. Nunca achou nabo elegante capaz de a seduzir. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Nabo

/ 582 leituras
Tubérculo celibatário cultiva os prazeres do estômago. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Violeta

/ 251 leituras
Nas grandes paixões sempre existe um pequenino ramo de violetas. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Ervilha

/ 626 leituras
Palavra com grão dentro. Antes quebrar que torcer, é o seu lema. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Rio (1957)

Ich weiss nicht, was sie sagen" ("Não sei do que falam").

Rota das Pirâmides

O EXÓTICO é um desejo; uma máquina de sedução; um domínio geo-semântico que designa um território imenso e quente, desconfinado, longínquo e incerto onde existem coisas estereotipadas, espécie de adereços e ambiências como o cheiro das especiarias, as trovoadas tropicais, as araras, as odaliscas, as palmeiras, os batuques, os camelos, e as pirâmides, por exemplo. O exotismo alimenta-se da nostalgia, do espaço e do tempo, como memória de uma idade de ouro em paragens remotas e tempos perdidos. Depois de Napoleão ter regressado a França após a Batalha das Pirâmides e se terem difundido as his...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 605 leituras
O telemóvel é um meio de incomunicação?