Fevereiro

/ 103 leituras
Por Maria Mónica

Ideias despenteadas (17)

/ 109 leituras
- Completamos as ideias um do outro. (calendário: fevereiro) Por Catarina Gomes (1983, Águas Santas, Maia), designer de comunicação e ilustradora freelancer, publicado in http://ideiasdes...

Gata

/ 671 leituras
Por Maria João Gonçalves Horta, nascida em 1949 no Porto. Reformada de uma profissão ligada aos números, contabilidade, agora dedicada, entre outras coisas, às artes.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Eduardo Vítor Rodrigues (1971)

SÃO declarações indignas de uma pessoa que ocupa o lugar que ele ocupa. Vamos defender o nome do município em tribunal. A única forma de desmentir este tipo de coisas é com papéis. O presidente do ACP não tem estatuto para difamar (…). Mas mais do que a questão da difamação, quero repor a verdade.

Rua da Estrada das terras viciosas

NOS idos de 1723, Bernard Mandeville escrevia a sua Fábula das Abelhas, ou de como os vícios privados se podiam transformar em públicas virtudes, chegando a questionar como é que uma nação poderia ser próspera e gloriosa se apenas fosse bondosa e atinada. No Século das Luzes, luminárias tão diversas como David Hume, Jeremy Bentham ou Adam Smith, embrulharam-se nestes meandros sobre o luxo, a moral, os bons e os maus costumes, ou a riqueza das nações. Completando o ramalhete, o Marques de Sade trataria do assunto da forma mais radical, com e sem a dança do varão aqui pintada, cerveja ou martini...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 408 leituras
A laranjeira dá as laranjas, a bananeira dá as bananas, a figueira dá as figas?